Serviços Diocesanos de Pastoral No que se refere aos Serviços Diocesanos de Pastoral, D. Manuel Quintas nomeou o Secretariado Diocesano da Pastoral da Saúde, destacando que a Igreja do Algarve “precisa de, junto dos doentes e nos meios ligados à saúde, continuar a testemunhar Jesus Cristo que «passou fazendo o bem»”. D. Manuel Quintas explica, no Decreto a que a FOLHA DO DOMINGO teve acesso, ter sido necessário “dar novo impulso ao serviço diocesano nesta área de acção pastoral”, constituindo aquele Secretariado Diocesano, composto pelo padre Joel Teixeira, tendo como assistente o diácono Rogério Egídio e como membros da equipa a médica Fernanda do Nascimento, a enfermeira Brígida Tomé e Mécia Vargas. Caritas Diocesana Também no âmbito dos Serviços Diocesanos de Pastoral, na medida em que se pode considerar relacionada com o trabalho do Sector da Pastoral Social, o Bispo diocesano nomeou, por três anos, a nova Direcção da Caritas Diocesana do Algarve, assim com o seu Conselho Fiscal, atendendo a que “as circunstâncias do tempo presente reclamam maior atenção e mais eficaz atendimento das necessidades humanas dos mais carenciados” e “que a Igreja diocesana tem o dever de testemunhar a caridade fraterna que resulte da partilha entre todos os cristãos”. Procurando dar continuidade àquele que tem sido o trabalho da Caritas do Algarve nos últimos anos, o Bispo do Algarve nomeou Carlos Alberto Lopes de Oliveira como presidente, Olívia Galante como secretária, Isilda Delfino como tesoureira, Luís Henriques, Albino Martins e a irmã Beatriz Santos como vogais. Para o Conselho Fiscal foram nomeados Manuel Uva Jacinto como presidente, o diácono Francisco Alves como primeiro vogal e o diácono Rogério Egídio como segundo vogal. Como assistente religioso foi nomeado padre Carlos de Aquino. Notário Diocesano O Bispo do Algarve nomeou ainda como notário da Secção de Instrução de Faro do Tribunal Interdiocesano de Évora o diácono Luís Galante. Recorde-se que aquele membro do clero algarvio completou no último ano lectivo a sua pós-graduação em Direito Canónico. Seminário de S. José e Corpo Nacional de Escutas Também o diácono António de Freitas foi nomeado por D. Manuel Quintas, primeiro como prefeito do Seminário de São José da diocese algarvia, atendendo a que “o Seminário é um serviço que constitui uma prioridade na vida da Igreja local”, entendido como “o «coração» da Diocese”. O Bispo diocesano lembra, a propósito, que “as vocações, nomeadamente as sacerdotais, exigem cuidado pastoral e atenção, em conformidade com a proposta do Programa Pastoral Diocesano, bem como a necessidade de garantir a formação dos candidatos ao sacerdócio ministerial a realizar no Seminário”. A segunda nomeação do diácono António de Freitas surge no contexto do CNE, uma vez que “é necessário continuar a promover com renovado empenho cristão e humano e vigor evangélico” naquele movimento. D. Manuel Quintas recorda que “a Assistência religiosa ao movimento escutista por parte de sacerdotes animados pelos ideais de Baden-Powel desempenha um papel que não podemos descurar nem deixar de incentivar”, justificando assim a nomeação do diácono como assistente regional adjunto.