Abertura_lausperene_2015 (11)
Foto © Samuel Mendonça

O bispo do Algarve disse no domingo à noite na missa de abertura do Lausperene (adoração permanente ao Santíssimo Sacramento) que cada diocesano devia ter o Seminário “como prolongamento da sua própria casa” e da sua “própria família”.

“Que esta instituição possa motivar e mobilizar-nos a todos, a toda a nossa Igreja diocesana, não apenas ao longo destas duas semanas, mas sempre”, desejou D. Manuel Quintas na celebração que se realizou na igreja de Santa Maria, em Tavira, e que deu início àquela cadeia de oração ininterrupta ao Santíssimo Sacramento que se prolonga, 24 horas por dia, até dia 14 deste mês.

O prelado, que voltou a lembrar que aquela instituição é o “coração” da diocese, apelou à corresponsabilidade para com o Seminário “no apoio humano e também no apoio material”. “Sabemos que o Seminário vive da generosidade de toda a Igreja diocesana, de todas as comunidades. Todas as paróquias são convidadas a colaborar, também a este nível, para que não faltem os meios necessários à formação dos nossos seminaristas”, alertou na eucaristia participada pelos seminaristas algarvios e por alguns outros jovens.

O bispo do Algarve lembrou que aquela cadeia de oração eucarística pretende unir toda a Igreja diocesana a responder ao apelo que Jesus fez: “pedi ao Senhor da messe que mande trabalhadores para a sua messe”. D. Manuel Quintas acrescentou ainda que a iniciativa visa também “pedir ao Senhor para aqueles que já foram ordenados, o dom da fidelidade e da disponibilidade”.

Com base na mensagem de D. Virgílio Antunes, presidente da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios, o bispo do Algarve lembrou que a vocação é sempre dom de Deus que nasce da sua misericórdia, lembrando que “aqueles que são chamados não são os melhores, nem os mais prefeitos, nem aqueles que supostamente deviam ter direito a ser chamados e escolhidos”.

D. Manuel Quintas sublinhou que o olhar de misericórdia de Cristo ajuda a “superar as falhas, limitações e fragilidades e capacita para responder com generosidade e com alegria”. O bispo diocesano pediu assim aos vocacionados “que se deixem olhar deste modo, como Deus olha, através do olhar de Cristo”.

Domingo, depois da eucaristia na qual foi instituído um dos seminaristas algarvios no ministério dos leitores, a noite teve continuidade com a adoração eucarística segundo o programa divulgado pela Diocese do Algarve e que prevê um itinerário distribuído pelas vigararias de Loulé, Portimão, Tavira e Faro.

O Lausperene decorre no âmbito da Semana dos Seminários que se realiza a nível nacional de 8 a 15 deste mês. Promovida pela equipa formadora do Seminário de Faro, a iniciativa está a mobilizar toda a Igreja algarvia. Assegurado pelas paróquias que constituem as quatro vigararias, pelas comunidades, congregações, grupos e movimentos católicos da diocese algarvia, o Lausperene tem como objetivo pedir a Deus vocações de consagração, tanto no sacerdócio, como na vida religiosa ou nos institutos seculares.

Depois de passar pelas várias comunidades paroquiais da diocese, a cadeia de oração terminará com uma celebração vocacional na igreja matriz de Portimão, pelas 17.30h, seguida de eucaristia.

no images were found