Sexta-feira 20 de Setembro de 2019
Inicio / Noticias / Congresso das Misericórdias portuguesas em Albufeira para debater os desafios do setor social

Congresso das Misericórdias portuguesas em Albufeira para debater os desafios do setor social

O XIII Congresso Nacional das Misericórdias arranca hoje em Albufeira, sob o tema “Missão, Rigor e Compromisso”, com a participação de mais de 700 participantes e representantes daquelas instituições de todo o país.

A iniciativa, organizada pela União das Misericórdias Portuguesas (UMP), em articulação com o Secretariado Regional da UMP em Faro, decorre de 7 e 10 de fevereiro, no Palácio de Congressos do Algarve e vai contar com vários painéis temáticos e com a presença de diversas individualidades representantes da sociedade civil, políticos e empresários para debater sobre o panorama e os principais desafios do setor social, incidido em temas relacionados com o envelhecimento da população, o papel da economia social, a sustentabilidade das Misericórdias, a cooperação e a relação com o Estado, o contributo das Santas Casas para o desenvolvimento do território nacional, o impacto da Lei de Bases da Saúde, entre outros.

O programa tem início hoje, pelas 14h30, com a eucaristia presidida pelo bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, na igreja matriz de Albufeira, após a concentração no Palácio de Congressos do Algarve.

Depois da celebração será feito o desfile das irmandades até à Câmara Municipal de Albufeira para o regresso ao local do congresso, onde a sessão de abertura, presidida pelo primeiro-ministro António Costa, está marcada para as 17h30. O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, apresentará uma “oração de sapiência”, dedicada ao tema “O papel do setor social no desenvolvimento das políticas sociais no Estado Português”.

A cerimónia contará também com a presença do presidente da Câmara Municipal de Albufeira, José Martins Rolo, do presidente da Assembleia-Geral da UMP, Silva Peneda, e do presidente da UMP, Manuel de Lemos.

O segundo dia do congresso vai ficar marcado pela diversidade de debates como “Envelhecimento – um futuro comum”, que terá como oradores Pedro Mota Soares (deputado do CDS-PP) e Sandra Pais (investigadora da Universidade do Algarve); “Turismo e património nas Misericórdias”, com Francisco Serra (presidente da CCDR do Algarve) e Jorge Rebelo de Almeida (presidente do grupo Vila Galé); “Uma fiscalidade para a economia social – sustentabilidade das Misericórdias”, com António Mendonça Mendes (secretário de Estado dos Assuntos Fiscais) e Dulce Mota (vice-presidente do Montepio); “Tutela e cooperação: um desafio permanente”, com Cláudia Joaquim (secretária de Estado da Segurança Social) e do padre Lino Maia (presidente da CNIS – Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade); “As Misericórdias e o Estado: que presente e futuro”, com António Tavares (provedor da SCM Porto), Nuno Melo (deputado ao Parlamento Europeu CDS-PP) e Ana Catarina Mendes (deputada do grupo parlamentar do PS); e “As Misericórdias agentes de desenvolvimento no território”, com Jorge Botelho (presidente da Associação de Municípios do Algarve), Jorge Coelho (vice-presidente da Mota-Engil) e Álvaro Amaro (presidente da Câmara Municipal da Guarda).

O dia terminará com o painel “Economia Social”, presidido por Vitor Melícias (presidente honorário da UMP), com Tomás Correia (presidente Associação Mutualista Montepio), Luís Reto (ex-reitor ISCTE) e Eduardo Graça (presidente CASES).

No sábado, 9 de fevereiro, o dia de trabalhos abordará temas como “Novas Tecnologias na Prestação de Cuidados às Pessoas Idosas” com Humberto Carneiro, provedor da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso e Manuel Eanes, administrador executivo da NOS; “Transparência e Rigor – Instrumentos Fundamentais de Gestão” com João Vieira Pereira, diretor adjunto do jornal Expresso, Nuno Mota Pinto, vogal executivo do Montepio e Luís Menezes, diretor-geral da UNILABS Portugal; “Apoio Domiciliário Medicalizado – Um Paradigma de Modernidade” com Helena Bárrios, adjunta da direção clínica do Hospital do Mar e Lia Fernandes, professora associada da Universidade do Porto; “Profissionalização e Misericórdia – Um Desafio para Quadros Técnicos” com Nuno Gomes, diretor-geral da Misericórdia de Arganil e Zélia Reis, diretora coordenadora da Misericórdia de Trofa; “O Papel das Misericórdias na Lei de Bases da Saúde” com Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, Maria de Belém Roseira, ex-ministra da Saúde e Eurico Castro Alves, presidente comissão organizadora da Convenção Nacional Saúde.

Após o debate e avaliação dos trabalhos, a sessão de encerramento do Congresso Nacional das Misericórdias, pelas 17h00, será presidida pelo presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …