O Sector da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve está a preparar a concretização de um objectivo antigo que apenas agora começa a ganhar forma. Trata-se da constituição do Conselho Diocesano da Pastoral Juvenil (CDPJ) que reuniu informalmente pela primeira vez no passado dia 15 de Novembro.
Procurando responder a uma necessidade cada vez mais sentida no trabalho com a juventude da diocese algarvia, mas também a uma orientação dos bispos portugueses manifestada no documento “Bases para a Pastoral Juvenil”, editado em Novembro de 2002, a formação do CDPJ pretende congregar todos aqueles que trabalham com jovens, quer sejam movimentos, obras, associações ou espiritualidades, com vista à integração e à comunhão de orientações. “Dado o crescente número de movimentos juvenis de sentido e carisma diverso, uns de raiz diocesana, outros ligados a institutos religiosos e laicais e muitos deles orientados por instâncias nacionais e internacionais, torna-se necessário ou pelo menos útil, o Conselho Diocesano da Pastoral Juvenil para proporcionar o encontro de todos e a sua integração no plano pastoral da Diocese, tornando-os participantes, em igualdade, nas iniciativas diocesanas comuns”, refere a Conferência Episcopal Portuguesa no ponto 26 do documento citado, referente às estruturas pastorais. Nelson Farinha, coordenador do Sector Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ), explica que este primeiro encontro procurou ser o embrião da estrutura do futuro CDPJ que se espera venha a ser constituído formalmente no próximo ano pastoral. Dar a conhecer os agentes que exercem a dinamização pastoral juvenil na Diocese do Algarve foi uma das finalidades desta primeira reunião. “Um dos objectivos foi a partilha do plano de actividades de cada expressão presente, bem como a comunhão da realidade que cada conselheiro representa, quer seja ao nível diocesano ou até nacional”, explicou aquele responsável. Presentes na reunião, que teve lugar nos Serviços Diocesanos de Pastoral, em Faro, estiveram, para além dos membros do SDPJ, representantes da JUFRA – Juventude Franciscana, da Junta Regional do CNE – Corpo Nacional de Escutas, dos Convívios Fraternos, do Movimento dos Focolares, do Centro Diocesano de Acólitos, dos Jovens sem Fronteiras e da Juventude Alegria de Maria. Foram ainda convidados representantes da espiritualidade de Taizé e do Caminho Neocatecumenal que não puderam estar presentes. O CDPJ pretende reunir anualmente pelo menos duas vezes, no início e no final de cada ano, devendo o próximo encontro ocorrer em finais de Junho do próximo ano.