Dia_3_seccao_cne_2016 (28)
Foto © Samuel Mendonça

Os Pioneiros e Marinheiros (elementos dos 14 aos 18 anos), respetivamente dos ramos terrestre e marítimo, do Corpo Nacional de Escutas (CNE) da região do Algarve celebraram, uma vez mais, o Dia da III Secção, a que pertencem.

Promovidas pela Junta Regional do Algarve do CNE, através do seu Departamento Regional da III Secção em colaboração com o Agrupamento 1339 de São Bartolomeu de Messines, as comemorações do Dia do Pioneiro/Marinheiro decorreram no último fim de semana, este ano naquela vila do concelho de Silves.

Tendo como lema “Juntos fazemos a diferença”, a atividade, na qual participaram 350 elementos (298 Pioneiros e Marinheiros e 58 adultos, dirigentes e candidatos a dirigentes), teve como herói São Francisco de Assis que este ano é a personalidade inspiradora escolhida pelo CNE a nível nacional e regional.

Assim, ao longo do fim de semana, os jovens escuteiros desenvolveram o seu trabalho em torno do ideal de São Francisco, um apaixonado pela natureza e por todas as criaturas. Pioneiros e Marinheiros foram ainda inspirados pelo pedido do papa para o presente mês de fevereiro, expresso no vídeo (ver abaixo) divulgado pela Santa Sé em que Francisco apela ao cuidado com a casa comum, o qual foi apresentado no início da eucaristia que se seguiu ao Fogo de Conselho de sábado à noite.

A chefe Margareta Silva, responsável pelo Departamento Regional da III Secção, explicou ao Folha do Domingo que a atividade procurou sensibilizar os participantes para a importância dos pequenos gestos de cada um que em conjunto podem “fazer a diferença para um desenvolvimento sustentável”.

Neste sentido, a atividade escutista teve início no sábado de manhã na vila de Messines com um raide de orientação de 20 quilómetros com coordenadas UTM que levou os escuteiros a fazer um percurso serrano com vários postos de paragem, seguindo por um troço da Via Algarviana e pelas rotas das necrópoles (Amorosa, Pedreiras e Carraqueira) e dos menires, até chegarem ao campo no sítio das Passadeiras, junto à barragem do Funcho, o local escolhido para a montagem do acampamento.

No sábado à noite, a missa campal após o Fogo de Conselho foi presidida pelo padre Nuno Coelho, assistente regional adjunto do CNE.

No domingo, os escuteiros realizaram novo raide, desta vez de regresso a Messines, por um percurso de 6,5 quilómetros, ao longo do qual foram sensibilizados para o devem ter em conta na organização e realização de atividades escutistas para uma maior proteção do meio ambiente.

Após o almoço, a atividade terminou com o momento do adeus.

no images were found