Dia_lobito_2016 (4)
Foto © Samuel Mendonça

Os Lobitos da Região do Algarve, pertencentes ao Corpo Nacional de Escutas (CNE), comemoraram nos passados dias 22 e 23 deste mês o seu patrono São Francisco de Assis com a atividade regional que acontece anualmente, normalmente no fim-de-semana seguinte ao dia em que a Igreja celebra a festa litúrgica do santo: 4 de outubro.

Este ano, o Dia do Lobito (escuta entre os 6 e os 10 anos de idade, pertencente à I secção do CNE) não se pôde realizar no fim-de-semana de 8 e 9 deste mês por coincidir com a Peregrinação Nacional do CNE a Fátima e a Junta Regional do Algarve, através do seu Departamento Regional da I Secção que promove a iniciativa, decidiu adiá-lo para o último fim-de-semana.

O programa de atividades do Dia do Lobito, que decorreu nas Ferreiras, concelho de Albufeira, previa um acampamento que acabou por não se realizar devido às condições climatéricas adversas. A ideia inicial passava pela montagem de campo no sábado de manhã, seguindo-se, depois do almoço, um jogo de pistas com três percursos diferentes em que uma parte seria feita no campo, outra com passagem pelo centro da freguesia e a terceira no espaço do complexo paroquial.

A atividade teve então de ser reprogramada e os escuteiros tiveram de ficar acantonados na Escola EBI das Ferreiras. No sábado de manhã, após o acolhimento, realizou-se a abertura de campo e uma oração. Seguiu-se a preparação para os oito jogos tradicionais e de destreza realizados à tarde juntamente com quatro ateliês de língua gestual, animação musical, identificação de sabores e construção de um presépio. Este último particularmente relacionado com o imaginário da atividade. “O imaginário da atividade passa-se em torno da vinda de São Francisco de Assis às Ferreiras para falar com São José [padroeiro da paróquia das Ferreira] para lhe pedir que as famílias dos Lobitos construam o presépio para o Natal”, explicou ao Folha do Domingo a chefe Manuela Sardo, secretária regional pedagógica da I secção, lamentando que atualmente a “maioria das famílias” de menos importância ao presépio do que à árvore de Natal.

À noite, o Fogo de Conselho realizou-se num pavilhão anexo à igreja e no domingo decorreu um ateliê-surpresa que consistiu numa aula de zumba, seguida da eucaristia presidida pelo padre Nelson Rodrigues, assistente regional do CNE e do encerramento antes do almoço.

A atividade, realizada com a colaboração do Agrupamento 1389 das Ferreiras e de 130 dirigentes e Caminheiros, contou com a participação de 320 lobitos, de 28 alcateias pertencentes a igual número agrupamentos do CNE, sendo que, tal como no ano passado, participaram também Lobitos da Associação dos Escoteiros de Portugal pertencentes ao Grupo 197 de Quelfes.

Atualmente, o movimento escutista conta com mais de 30 milhões de elementos no ativo, dispersos por 216 países do mundo. O CNE foi fundado no dia 27 de maio de 1923, por ação de D. Manuel Vieira de Matos, arcebispo de Braga, e está atualmente presente em todas as dioceses de Portugal, registando um efetivo de 73.000 associados (59.000 crianças e jovens e 14.000 adultos), sendo que no Algarve são cerca de 2.200 pertencentes a 33 agrupamentos e o efetivo da I secção na região é de cerca de 530 Lobitos.

no images were found