De facto, os morteiros que estoiraram no céu denunciavam a entrada da imagem peregrina da Virgem de Fátima, no passado dia 8 deste mês, naquela freguesia que marca, no concelho de Loulé, a transição entre a Serra e o Barrocal. Cerca de hora e meia depois da hora anunciada, a imagem mariana lá chegou, numa carrinha de caixa aberta, acompanhada pelo pároco, o padre Carlos de Matos, e por um grupo de paroquianos da serrana comunidade paroquial do Ameixial que a recebera na semana anterior e que integraram o cortejo a pé que teve início à entrada da freguesia. Outros, os que tinham mais dificuldade em andar maiores distâncias a pé, vieram de autocarro ter ao ponto de encontro dos fiéis de Querença. Depois de colocado em ombros, o andor foi transportado em passo apressado ladeira acima até à colina onde se implanta a igreja paroquial. Ali chegada, a imagem de Nossa Senhora de Fátima foi coroada pelo presidente da Junta de Freguesia local, tendo antes, o padre Carlos de Matos, lembrado que os paroquianos de duas das paróquias de que é prior – Ameixial e Querença – tinham vindo “pedir a intercessão para que a Mãe do Céu possa ouvir as suas preces”. O pároco recordou ainda a coroação, pelo rei D. João IV, da Virgem Maria, invocada como Senhora da Conceição, explicando que “o monarca português quis fazer de Nossa Senhora a protectora de Portugal” e que a partir de então “mais nenhuma rainha usou coroa”. “A grande «coroa» que podemos dar a Nossa Senhora não é a de pedras preciosas, mas a da alegria, do amor e da solidariedade”, considerou o sacerdote, exortando os fiéis presentes a darem as mãos “para colocar de lado as quezílias humanas”. Após o gesto simbólico, Nossa Senhora de Fátima foi saudada com mais foguetes, fogo de artifício e salvas de fogo. O espectáculo pirotécnico, que surpreendeu os presentes, terminou com a revelação de um quadro flamejante com a imagem da Virgem de Fátima. Já dentro da igreja, o padre Carlos de Matos exortou à oração. “Vamos aproveitar estes dias em que Nossa Senhora está connosco para que haja entre nós espírito de oração. A igreja vai estar aberta da parte da manhã para todos os que queiram passar por cá, procurando criar um clima de oração. Aproveitemos para rezar, não só pelos nossos familiares e amigos, mas por todos aqueles que são mais esquecidos”, pediu o prior. Mais fotos na Galeria de Imagens