A funcionar num edifício pré-fabricado, adquirido pela paróquia, em terreno cujo direito de superfície foi atribuido durante 50 anos, a instituição nasceu em 1981 só com a valência de ATL, mas com o tempo, a comunidade sentiu que a procura começou a ser mais em ordem às crianças mais novas e teve de abrir uma sala para responder a essas solicitações. “O objectivo foi responder a uma necessidade que se notava então. Tínhamos celebrado o Ano Internacional da Criança e eu pensei que uma das maneiras de assinalar esse ano seria a criação de uma instituição para atender as crianças”, explica o pároco, padre António da Rocha, lembrando que “nessa altura não havia nenhum centro de ATL na cidade”. Na altura começou com 120 crianças, mas quando se alargou ao pré-escolar houve uma reformulação do acordo para 85 crianças no ATL e 21 no pré-escolar, capacidade que ainda mantém actualmente. “Reduzimos um pouco os utentes do ATL para darmos uma resposta mais incisiva ao pré-escolar”, clarifica o padre António da Rocha. Com os seus funcionários e dirigentes a trabalhar em regime de voluntariado, a instituição recebe da Segurança Social uma comparticipação por cada um dos utentes do ATL (cerca de 56 euros) e do Ministério da Educação também um contributo para cada criança do Pré-escolar (cerca de 130 euros). Cada família contribui com ainda uma verba que o pároco afirma ser “muito reduzida” e “praticamente simbólica”, correspondente à “capitação que se estabelece de harmonia com o número do agregado familiar e com os seus rendimentos”. “Mais de 50 crianças chegam-nos a entregar 50 euros por ano. Ora só o lanche que fornecemos diariamente a meio da manhã e da tarde representa muito mais do que isso”, recorda o padre António da Rocha. Para além destes, o sacerdote garante ainda que a autarquia apenas tem cedido alguns apoios ocasionalmente. Em jeito de balanço destes 25 anos de trabalho, considera que “tem sido um serviço dos mais verdadeiros” que a paróquia tem prestado. “A nossa instituição serve fundamentalmente crianças oriundas de estratos populacionais mais desfavorecidos”, justifica, destacando que, ao contrário do que hoje acontece, há 25 anos atrás não era fácil encontrar esse tipo de serviço. Para o futuro, conta que a instituição pretende abrir mais uma sala de Pré-escolar, embora reconheça que o espaço é limitado. “Naturalmente que se surgisse um outro espaço nós abraçavamos essa possibilidade com todo o gosto”, refere. Do programa do comemoração da efeméride consta no próximo domingo, dia 10 de Dezembro, a Celebração Eucarística, pelas 12 horas, seguida de uma breve sessão comemorativa e de um almoço de confraternização com antigos e actuais utentes, familiares, educadores e membros das várias direcções.