Vinte e cinco mulheres e oito homens vindos da Matriz de Portimão; Silves; Boliqueime; Alte; S. Cle-mente de Loulé; Tavira; Cacela; Quelfes e Faro, Sé e S. Pedro. Os mais novos têm dezoito anos e a mais velha quarenta e seis, apresentando o conjunto a média etária de vinte e sete anos. De salientar ainda que de entre os eleitos se encontrava um emigrante do Leste europeu, apresentado pela Paróquia de Alte, uma mãe e uma filha, apresentadas pela Comunidade Paroquial de Tavira, dois irmãos apresentados por Silves e dois primos provenientes de Portimão. Antes da celebração, os catecúmenos, seus garantes (padrinhos) e catequistas reuniram com o Bispo dio-cesano que lhes explicou o sentido da Quaresma e do rito da eleição ou da inscrição do nome, com o qual se inicia a preparação imedita para a celebração dos Sacramentos da Iniciação Cristã: Baptismo, Crisma e Eucarístia que terá lugar na Vigília Pascal, a mãe de todas as Vigílias. O catecumenado dos adultos que foi restaurado pelo II Concílio do Vaticano, está instituido há mais de uma década no Algarve e de ano para ano tem vindo a crescer o número dos catecúmenos que são eleitos, isto é escolhidos e declarados aptos pela Igreja para celebrarem os Sacramentos da Iniciação culminando um percurso de cerca de três anos, em que semanalmente, muitas vezes com grande esforço e sacrifício das suas vidas a nível familiar e profissional, são instruídos nas verdades da fé. A formação das pessoas adultas, não baptizadas e não iniciadas na fé é um dos primeiros e principais deveres da Igreja, é mesmo o principal dever, pois a Igreja existe para evengelizar, para anunciar o Evangelho ao mundo. Baptizar adultos sem previamente os evangelizar, como se fossem crianças recém nascidas, é não só um comportamento que viola as leis da Igreja, pois nenhum adulto deve ser baptizado sem o conhecimento do Bispo e o nosso Bispo instituiu o Catecumenado de adultos justamente com a finalidade de os adultos serem inciados previamente aos sacramentos nas verdades da fé, crescerem no conhecimento e na compreensão do Mistério de Cristo, como principalmente constitui um contrassenso e um erro pastoral, pois a missão dos pastores e dos baptizados em geral é evangelizar e não meramente baptizar. É precisamente porque durante muitos anos se celebraram os sacramentos, particularmente o Baptismo, sem uma verdadeira iniciação à fé, que hoje temos multidões de baptizados desconhecedores das verdades da Fé, baptizados que desconhecem Cristo, que ignoram a Igreja e que muitas vezes pretende viver uma fé à "la carte", apenas para o que interessa e pondo de lado o que não convém. O Catecumenado (para os não baptizados) e a catequese de adultos (para os baptizados não iniciados) são o caminho para uma fé adulta e para a maturidade da fé. È uma aposta que devemos prosseguir e incrementar, com todas as nossas forças, não tanto para que haja mais cristãos, mas principalmente para que haja mais cristãos que sejam verdadeiros discípulos de Jesus Cristo.