A jornada começou com a apresentação pelo padre José Tolentino dos objectivos da Comissão Episcopal da Cultura: recuperar o valor central da mediação Fé/Cultura, no quadro de um pleno e eficaz desenvolvimento da missão evangelizadora da Igreja; verificar as hodiernas “condições de possibilidade” do Anúncio, enfrentando o premente problema da tradução cultural da experiência cristã; elaborar interacções entre os conteúdos essenciais da Fé as características mais relevantes da cultura contemporânea; suscitar sinergias, relançar circularidades entre instituições e projectos que a título diverso concorrem para dar uma espessura cultural ao testemunho da Fé. No seu site (www.ecclesia.pt/cec/), a Comissão Episcopal da Cultura oferece já ao público uma base de dados dos principais referentes eclesiais ligados ao âmbito da cultura, tanto nacionais como a nível diocesano; apresenta ainda um observatório da cultura, o­nde se faz eco das possíveis traduções culturais da fé na actual sociedade portuguesa, bem como da interpretação cristã de realidades e acontecimentos culturais significativos.A partilha dos delegados revelou-se fecunda e de mútuo enriquecimento, apesar das hesitações e das limitações que a actual realidade eclesial e cultural coloca à inculturação da fé. Todos ficaram mais esclarecidos quanto, por este País fora, se promove, discretamente, a nível do diálogo com a cultura, através da imprensa regional católica, das escolas católicas, das livrarias, dos centros de formação teológica, da valorização do património religioso e da arte sacra, dos contactos pessoais com instituições culturais várias, das parcerias entre paróquias e autarquias…Partindo do documento “Para uma Pastoral da Cultura”, do Conselho Pontifício da Cultura (www.vatican_curia/pontifical_councils/cultr/documents/rc), D. Manuel Clemente referiu «a urgente tarefa dos cristãos e das comunidades interagirem culturalmente, potenciando o diálogo com os artistas, os intelectuais, os diversos agentes culturais». Porque há, indiscutivelmente, «um contributo cristão/católico para a cultura, que propõe uma interpretação da vida a partir do mistério da Trindade e da Encarnação. Motivar e incrementar o diálogo nas diversas aproximações culturais da Igreja com a sociedade contemporânea constitui um desafio inadiável, sem renunciar a apresentar a proposta católica com o mínimo de coerência e exigência». Salientou ainda o presidente da Comissão Episcopal da Cultura que «a principal fonte de uma pastoral da cultura são as Igrejas locais, pois é nelas que se realiza a fecundidade do processo da inculturação da fé e se guarda a memória da mesma ao longo das sucessivas gerações». Na diocese algarvia está em fase de criação uma estrutura diocesana com a particular incumbência de promover uma pastoral da cultura a nível do Algarve, proporcionando uma reflexão sobre a presença cristã na cultura da Região, motivando e coordenando as diversas iniciativas e eventos culturais. No recurso às vantagens das novas tecnologias, em breve será possível criar no portal diocesano uma página que faça a divulgação dos eventos culturais da Diocese e promova uma reflexão sobre a realidade cultural local, com participação de interlocutores vários (escritores, artistas, agentes culturais, autarquias, Região de Turismo, Delegação Regional da Cultura, Universidade…).