Fê-lo inspirado pela sua compatriota S. Faustina Kowalska, que ele próprio canonizou em 30 de Abril de 2000, mas principalmente porque, como escreve São Paulo aos Efésios «Deus, que é rico em misericórdia, pela grande caridade com que nos amou, a nós que estávamos mortos por causa dos nossos pecados, restitui-nos à vida com Cristo – é pela graça que vós fostes salvos – com Ele nos ressuscitou e nos fez sentar nos céus com Cristo Jesus», Ef 2, 4-6. Não podemos esquecer, que foi justamente na vígilia do Domingo da Divina Misericórdia do ano de 2005, depois de ter iniciado a celebração desse Domingo com o canto de Vésperas e a celebração da Eucarístia, que o Papa João Paulo II “partiu para a casa do Pai”. Muitos são aqueles que interpretam como um sinal confirmativo do culto da Divina Misericórdia, o facto de João Paulo II ter morrido nesse dia e nessas circunstâncias. A Misericórdia Divina é um tema central na fé dos cristãos, de tal modo que foi recentemente anunciada a realização em 2008, entre os dias 2 e 6 de Abril, do primeiro Congresso Internacional da Misericórdia que terá lugar na sala Paulo VI, no Vaticano. Este Congresso Internacional, foi apresentado pelo Cardeal Christopf Schonborn, Arcebispo de Viena, que salientou que a data da abertura do Congresso, 2 de Abril, foi escolhida para coincidir com o terceiro aniversário da morte de João Paulo II. O Arcebispo de Viena fundamentou esta iniciativa, com palavras do Papa Wojtyla: «Não há nenhuma outra fonte de esperança para a humanidade a não ser através da Misericórdia de Deus». Este Congresso terá uma dimensão inter-religiosa, prevendo-se a participação de judeus, muçulmanos, budistas e hinduístas, constituindo assim “uma ponte para outras religiões, alcançando também agnósticos e ateus” e naturalmente também uma componente ecuménica, com a participação de cristãos de outras confissões, nomeadamente ortodoxos. Aliás, na conferência de imprensa de anúncio do Congresso, o Secretário-geral, Padre Chocholski, revelou já ter apresentado pessoalmente a iniciativa ao Patriarca Alexis II de Moscovo e da Igreja Ortodoxa Russa, que terá ficado “muito entusiamado”. A finalidade do Congresso será contribuir para a redescoberta da essência do Evangelho e generalizar a mensagem da misericórdia junto do maior número possível de pessoas, porque, como declarou o Padre Chocholski «a misericórdia pode mudar o mundo».