Inicio / Noticias / “A Páscoa de Jesus tem de ser a nossa Páscoa”, sublinhou D. Manuel Quintas na Vigília Pascal

“A Páscoa de Jesus tem de ser a nossa Páscoa”, sublinhou D. Manuel Quintas na Vigília Pascal

Em Faro, reunidos em torno do Bispo da diocese algarvia, D. Manuel Neto Quintas, muitos fiéis acorreram à Catedral diocesana para participarem na celebração que relata as passagens mais significativas da História da Salvação. Os episódios desde a criação do mundo até a ressurreição de Jesus, passando pela fé de Abraão e a passagem do Mar Vermelho com Moisés, ajudaram os presentes a entender o plano salvador de Deus para com a Humanidade. Depois de feita, ainda na rua, a benção do fogo novo e do círio pascal e da proclamação da Palavra de Deus, D. Manuel Neto Quintas, já na homilia, lembrando que foi para aquela noite que convergiu toda a caminhada quaresmal dos cristãos, destacou precisamente o motivo principal da sua reunião na Sé Catedral. “Cristo ressuscitou, venceu a morte, vive para sempre. É esta a notícia que mais uma vez nos enche de alegria. Sabemos e proclamamos com todo o vigor da nossa fé e da fé da Igreja, que Cristo vivo e ressuscitado está presente no meio de nós”, salientou. “A Páscoa de Jesus tem de ser a nossa Páscoa”, considerou o Bispo diocesano, pois “se morremos com Cristo, acreditamos que também com Ele viveremos”. “Este é o mistério que celebramos e que dá sentido à nossa vida. Nós não seguimos ideias, não seguimos uma doutrina ou um livro, nem estamos aqui para festejar um aniversário do passado por mais importante que seja… Nós celebramos e seguimos uma pessoa que é Cristo Jesus, presente no meio de nós como o Senhor ressuscitado”, complementou, acrescentando que “a vitória da luz sobre as trevas se decide também no coração de cada baptizado, quando este deixa que a luz de Cristo se tranforme em luz da fé”. Aos eleitos que iriam receber os sacramentos da iniciação cristã (Baptismo, Eucaristia e Confirmação), D. Manuel Quintas dirigiu um palavra priviligiada. “É para vós que brilha a luz de Cristo ressuscitado com a qual iniciámos esta vigília. O vosso Baptismo, Confirmação e o passardes a alimentar-vos na Eucaristia constitui para nós também um estímulo para vivermos de maneira mais consciente e profunda a nossa fé, para a celebrarmos, mais enriquecidos, convosco e a testemunharmos”, afirmou o Prelado que mais tarde lhes dirigiu um apelo. “Recordai-vos do que aconteceu aos apóstolos na manhã de Pentecostes, quando desceu o Espírito Santo sobre eles, que passaram a homens corajosos, arrojados e destemidos que nunca mais ninguém calou ou assustou. É desse testemunho que a nossa Igreja diocesana precisa. De vós e de todos nós. Não podemos viver uma fé envergonhada. Somos cristãos permanentemente. Sermos cristãos é algo que caracteriza toda a nossa vida e que se deve reflectir nas nossas opções, gestos e atitudes. Na nossa intervenção na vida social, cultural e política. É aí que somos chamados a viver e a testemunhar a nossa fé”, disse. Na celebração receberam então o Sacramento da Confirmação 33 adultos da paróquia da Sé de Faro e 5 pessoas da mesma comunidade paroquial mais uma de Moncarapacho receberam os Sacramentos da Iniciação Cristã. Os eleitos foram ungidos com o óleo dos catecúmenos no decorrer de uma celebração que teve lugar também na Sé Catedral, na manhã de sábado.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …