Aconteceu na passada terça-feira, tendo início junto ao Auditório Municipal de Lagoa, com a recriação da Última Ceia, seguindo para o Monte das Oliveiras, continuando com as cenas no tribunal judaico e no tribunal romano, o encontro particularmente emotivo de Jesus com a Maria, sua Mãe, a ajuda do cireneu para carregar a Cruz, o encontro com Verónica, a crucifixão no Calvário que teve lugar no adro da igreja paroquial local e a ressurreição do túmulo ocorrida já no interior da mesma. Esta é uma iniciativa que este Agrupamento leva a efeito há cerca de 12 anos, tendo vindo a realizá-la alternadamente em Estombar, Mexilhoeira e Parchal, embora no último ano, por se assinalar as Bodas de Prata da sua fundação, tenha sido realizada nas três localidades. Este ano, perante uma assistência de cerca de 1000 pessoas (muitas vindas de outras localidades) que foi crescendo ao longo do percurso, os personagens, trajando de acordo com a época, constituíram um grupo de cerca de 80 elementos e a logística envolveu cerca de 30 pessoas. Do grupo, para além de residentes na freguesia de Estombar, faziam parte ainda elementos oriundos do Parchal, Lagoa, Portimão e Silves, sendo pais, familiares e amigos dos elementos associados do Agrupamento de Estombar do CNE. Segundo os organizadores, a ideia surgiu para tentar conciliar uma vivência mais activa do momento mais importante do calendário litúrgico cristão com a vontade de envolver no Agrupamento não só os seus elementos associados, mas também os pais, familiares, amigos e restante comunidade. Com um guarda-roupa cuidado com alguns pormenores que denunciam a re-edição da actividade ao longo dos últimos anos, a seriedade aplicada às últimas cenas da vida terrena de Cristo motivou a atenção de quem assistia. Para isso contribuíram também os diversos efeitos de luzes, som e fumos criados. Mais fotos na Galeria de Imagens