Apresentada apenas em Lisboa, durante a realização do ICNE – Congresso Internacional para a Nova Evangelização, a exposição teve, durante uma semana, mais de 15.000 visitantes. “Como tínhamos no programa da diocese um lema – “Fazei o que Ele vos Disser” –, centrado na Palavra de Deus, na Bíblia, nada melhor do que concretizar esta exposição e fazê-lo em tempo de Verão. Chegámos à conclusão que esta exposição seria importante, não apenas para os algarvios, mas também para todos aqueles que nos visitam”, justificou o Bispo do Algarve, referindo ter chegado a diocese à conclusão que, pela movimentação de pessoas, a zona ribeirinha de Portimão era o lugar privilegiado para a sua realização. Também Alfredo Abreu, responsável pela comunicação e desenvolvimento da Sociedade Bíblica, a associação cristã interconfessional de natureza religiosa e cultural de acção social que organiza a iniciativa, concordou que, apesar de haver várias dioceses interessadas em receber a mostra, a realização, primeiramente no Algarve, “poderá ter um maior impacto”. “Alegra-nos muito que seja o Algarve a receber a exposição nesta altura em que acolhe visitantes de todo o País e do estrangeiro”, afirmou, justificando o facto de nesta segunda edição se ter incluído os textos em inglês. Alfredo Abreu adiantou ainda que a exposição “revela às pessoas que a Bíblia é mais do que um livro, é uma biblioteca vastíssima e muito rica” e que “nunca na história da humanidade houve tanta gente interessada na Bíblia”. Aquele responsável referiu-se à importância de trazer as Sagradas Escrituras para o conhecimento da população em geral, pois “na base da identidade cultural portuguesa está muito as Escrituras Sagradas”. Em torno da exposição, que estará aberta ao público das 15 às 24 horas, numa tenda montada no passeio ribeirinho junto ao rio Arade, será realizado um programa de animação bíblica e cultural igualmente diário. “Um programa que permita fazer a ponte entre a mensagem das Sagradas Escrituras e diversos tipos de interesse, conforme as idades ou grupos sociais”, salienta Alfredo Abreu. Cerca de 50 pessoas, entre conferencistas, oradores, membros de painéis, ou grupos de música, entre outros, irão ajudar as pessoas a pensar, em diversos ângulos, da importância que a Sagrada Escritura tem. “Pensamos que fazer coisas como estas é um serviço público”, justifica o responsável da Sociedade Bíblica, sublinhando o carácter básico da informação que vai ser dada. A tenda, com cerca de 200 m2, será dividida por 5 módulos com sonoridades distintas: “A Bíblia – Século XXI”; “Uma vasta biblioteca”; “Milénios de cultura e civilização”; “A Palavra na vida” e “Considere… o Amor!”. Terá ainda um auditório anexo onde todos os dias decorrerá uma actividade. Alfredo Abreu explicou que os oradores, muitos deles personalidades conhecidas, “não vêm fazer uma conferência no sentido mais académico do termo, mas antes uma comunicação com a sua integridade intelectual, num ambiente de Verão onde estará todo o tipo de público”. Debates, painéis e workshops são outras propostas que irão ter a participação de católicos e protestantes com vista à partilha da sua vivência da Bíblia. Composta por alguns dos mais modernos meios tecnológicos, a exposição contará com 10/12 ecrãs plasma, 6 ou 7 dos quais para exibição de pinturas feitas em todas as épocas da história sobre temas bíblicos, e por um vidiwall. Esta iniciativa, que pretende também assumir-se como um encontro de culturas e de visões e perspectivas do mundo, contará ainda com um outro aspecto de interesse logo na sessão inaugural. Será apresentado o fac-simile do primeiro livro da Bíblia a ser impresso em Portugal – Pentateuco – logo após a invenção da imprensa, um acontecimento que teve lugar no Algarve. D. Manuel Quintas reconheceu, por fim, a necessidade de ir ao encontro daqueles que não vêm à igreja. “Se as pessoas não vêm à igreja, a Igreja deve ir ter com elas. Cada vez mais temos de estar no meio das pessoas e levar a Palavra de Deus à vida das pessoas”, justificou. Uma vez que, à hora do fecho da nossa edição, não estava ainda definitivamente definido, o programa da iniciativa será disponibilizado brevemente aqui neste Portal da diocese do Algarve. Apesar disso, a FOLHA DO DOMINGO apurou que o programa de actividades terá mesmo a participação de dois grupos musicais algarvios: “Laudate” e “Cantando a Palavra”. Este último da paróquia de São Pedro de Faro. As famílias e os idosos: dois grupos sociais alvo da iniciativa Um dos pontos de interesse da “Bíblia em Festa” será a apresentação do tema “A Família na Bíblia” que proporcionará uma reflexão sobre o que é que a Bíblia tem a dizer sobre as famílias de há 2.000 anos a trás, procurando perceber como é que essas famílias são hoje um estímulo para as famílias no século XXI em Portugal. “Teremos duas famílias – uma católica e outras protestante – que irão partilhar a sua vivência da Bíblia na família. É possível? É desejável? Que tipo de impacto é que isso tem na educação das crianças e no relacionamento do casal e dos afectos? É uma partilha que se abre ao público e na qual este pode participar”, explicou Alfredo Abreu da Sociedade Bíblica. Também um workshop para idosos e para pessoas que estão a envelhecer merece referência. Intitulada “Envelhecendo com a sabedoria da Bíblia” a iniciativa com carácter interactivo pretende, com alguma animação cultural, envolver os idosos vindos de várias partes do Algarve. “Como lidamos com a solidão, com o facto de nos sentirmos não produtivos, com a maneira como as pessoas lidam com a nossa crescente dificuldade de articular pensamentos e acções físicas” são algumas das pistas de reflexão desvendadas por Alfredo Abreu. Bispo do Algarve considera que portugueses têm a Bíblia mas não a lêem por “falta de estímulo” Confrontado pelos jornalistas com um recente estudo do Patriarcado de Lisboa que dava conta que a maioria das pessoas, apesar de terem a Bíblia em casa não a lêem, o Bispo do Algarve considerou que isso se deve a “falta de estímulo e de motivação”. “A finalidade desta exposição é exactamente despertar as pessoas para a riqueza de terem a Bíblia em casa e não usufruírem dela”, explicou, acrescentando que na diocese do Algarve têm vindo a ser criados grupos de aprofundamento da fé para um maior conhecimento da Bíblia.