Uma representação da diocese irá a Fátima buscar a imagem mariana no dia 13 de Outubro, trazendo-a para a Sé Catedral de Faro, onde deverá ter lugar a celebração de acolhimento. A partir desse fim-de-semana terá início então, durante 2 anos, a visita pelas diversas paróquias. Recorde-se que a última visita da imagem peregrina ocorreu já no distante ano de 1947. Estão a ser desenvolvidas um conjunto de acções a propósito desta visita, que "será de grande ânimo para a diocese", garantiu o cónego José Pedro Martins, vigário episcopal da pastoral. A Comissão Permanente do Conselho Diocesano de Pastoral (CPCDP) está neste momento a preparar os conteúdos para um guião, composto com catequeses marianas e cristológicas, que melhor ajudem as paróquias algarvias a acolher a imagem de Nossa Senhora. A intenção será também a de proporcionar às comunidades que possam viver da melhor forma este acontecimento. Em reunião da CPCDP, a que presidiu D. Manuel Neto Quintas, Bispo do Algarve, foram previstas as formas de preparação na diocese. Estas reuniões servem também para "acompanhar o desenvolvimento do plano pastoral que tem este ano como objectivo "Reconhecer em Cristo a nossa identidade e missão"", adiantou o vigário episcopal para a pastoral. Neste segundo semestre do ano pastoral agiliza-se a preparação "e as estratégias para dinamizar a diocese para a visita". Nesse sentido a formação de grupos paroquiais é primordial. Através da formação de animadores paroquiais "pretendemos que animem pequenos grupos com temas preparatórios, mas que sejam sustento para continuarem após a visita da imagem", sublinhou o cónego José Pedro Martins. Os grupos a estabelecer visam atingir várias gerações, "tanto adultos como jovens". A formação vai iniciar-se com uma base "assente na pedagogia de grupos" e depois sustentada em temas bíblicos. A diocese do Algarve está empenhada no envolvimento dos leigos nas acções pastorais. "Os animadores dos grupos são fundamentalmente leigos e os destinatários também". Esta chamada não é nova e os leigos "têm um papel fundamental na vida da comunidade que queremos ajudar a desenvolver", manifestou o cónego José Pedro Martins. O vigário episcopal para a pastoral registou que a diocese está envolvida no plano traçado. Plano este que ganha novas dimensões com a última Nota Pastoral dos Bispos. O cónego José Pedro Martins reconhece ser "preciso trabalhar com os leigos para um maior reconhecimento da identidade cristã". Todos somos chamados e por isso importa "formar adultos na fé que não se demitam de mostrar a sua posição cristã na vida pública", sublinhou.