Foi um fim-de-semana em que estes jovens, juntamente com os restantes convivas participantes de todo o País, se reuniram para participarem em diversas actividades, desde a celebração penitencial, a saudação a Nossa Senhora, o sarau musical, um momento de cada diocese de origem em que cada um recordou e reavivou o seu compromisso, terminando com a participação na Eucaristia. Recentemente ordenado Bispo, em 29 de Junho deste ano, na Sé Nova de Coimbra, D. João Lavrador, Bispo Auxiliar do Porto, dirigiu-se, na Eucaristia de domingo, sobretudo aos jovens, e muito em particular aos membros do Movimento dos Convívios Fraternos, fundado em 1968. “É grande a interpelação que nos é feita, sobretudo a vós jovens, que fizestes a experiência apaixonante do amor de Deus nas vossas vidas: estar no mundo, amando-o, não para se limitar a ser como o mundo mas, como recomenda o Apóstolo, para o transformar pela força do Evangelho”, exortou D. João Lavrador que de seguida disse ser possível que cada homem e mulher deste tempo actue como discípulo de Jesus Cristo. Num chamamento para cada um olhe para o mundo com o olhar de Jesus Cristo, e em Cristo, D. João Lavrador pediu aos jovens para que analisem o mundo e experimentem “a verdade de Jesus Cristo”, proclamando à sociedade que “Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e Vida”. Na sua interpelação aos jovens, o Prelado disse-lhes também: “Não tenhais medo de propordes a vós mesmos e aos outros jovens o caminho da conversão como o único capaz de orientar para o homem novo que todos ansiais e a humanidade espera”. “Amar o mundo, tal como Jesus, é participar nas estruturas da sociedade, oferecendo aos jovens, aos adultos, às crianças e aos idosos a esperança que brota do Evangelho. Todos lamentamos o deficit de participação pública dos cristãos. Por fidelidade à fé cristã, sede vós jovens os primeiros a incentivar os fiéis leigos das vossas comunidades cristãs a essa participação”, acrescentou D. João Lavrador. Após o momento da comunhão, um grupo de Convivas apresentou um jogo cénico em frente do altar do Recinto de Oração. De forma original, com um tema musical inédito, os jovens, diocese a diocese, e também com representantes vindos de outros países, sublinharam o compromisso e o anseio pela busca da Verdade, e o apoio em Jesus Cristo, representado por uma cruz grande, branca, colocada no centro da representação. O momento foi ocasião para que todos os convivas presentes no Santuário e as suas famílias renovassem os seus votos de consagração a Nossa Senhora de Fátima. Fátima acolhe, sempre em Setembro, o testemunho e a fé de jovens representantes de todas as dioceses de Portugal. As ruas e o Santuário de Fátima recebem novo colorido, isto porque uma marca distintiva deste movimento, ao jeito de arco-iris de tamanho nacional, é que cada diocese é representada por uma cor diferente. Esta Eucaristia, presidida por D. João Lavrador, foi concelebrada pelo bispo irlandês D. John Magge, Bispo de Cloyne, na Irlanda, e por 55 sacerdotes. No sábado, em Fátima, realizou-se o II Congresso do Movimento dos Convívios Fraternos, com a presença de cerca de 80 congressistas de todo o País e com os contributos de 4 Bispos da Igreja Portuguesa. Na sequência das conclusões do primeiro dia de Congresso em que se debateram formas de reformar e reforçar a Acção Pastoral do Movimento no dia-a-dia após os Encontros dos Convívios Fraternos e de cujos debates deverão resultar propostas de intervenção concretas para ajudar os jovens a manter e a fazer crescer a sua Fé, em todos os Ambientes com que têm contacto, a começar na Família, passando pela Paróquia, pela Profissão e pelo seu lugar na Sociedade, os Congressistas abordaram desta feita as questões ligadas aos contributos dados pelo Movimento à Pastoral Vocacional e ao empenhamento dos seus membros na sua Missão, como leigos, na Igreja.