A organização considerou que este foi um evento que “superou todas as expectativas”, conforme realçou o director do Secretariado Diocesano de Pastoral Juvenil e Vocacional (SDPJV), padre Rui Barnabé “o Festival Jota deu um passo em frente surpreendendo aqueles que tiveram a oportunidade de passar, participar e viver três dias verdadeiramente intensos.” Como explica o mesmo responsável “conseguimos conquistar mais jovens, triplicando os números de participação e atingindo novos públicos com uma qualidade que muito nos orgulha, ultrapassando as 1800 pessoas envolvidas.” D. António Francisco dos Santos, entusiasta desde a primeira hora deste evento, fez questão de se dirigir especialmente aos jovens na sua homilia, “no mesmo espaço, amplo e aberto, do Festival que para São Jacinto vos guiou, vindos de todo o país, esta foi uma enorme festa da fé, da alegria e da esperança. Cristo mostrou-vos que o rumo certo que aqui vos trouxe vos conduzirá sempre Aquele que dá sentido e valor à vossa vida.” A música, mote desta festa, fez-se ouvir um pouco por todo lado, dos concertos na praia aos palcos por onde passaram alguns dos grupos mais conhecidos do grande público. Nas duas noites de concertos o cartaz deste festival surpreendeu todos os presentes, que não se cansaram de saltar e cantar no relvado. Destacam-se destas actuações os espanhóis La voz del Desierto, a sonoridade intimista dos Simplus, o pop funk da música de Héber Marques, fazendo jus à vertente ecuménica, e a apresentação do último trabalho da Banda Jota, “Obrigatório Ser”. Nesta terceira edição os Jovens em Movimento, de Avanca, foram a banda vencedora do Teu Palco. Sábado foi o grande dia deste certame com os participantes envolvidos em dezenas de fóruns e workshops que transformaram este festival num espaço privilegiado de aprendizagem e experiência. D. Ximenes Belo, Laurinda Alves, Aura Miguel e muitos outros foram provocando os jovens para temáticas como a participação cívica, a construção da paz e experiências de fé no Mundo. A tarde desafiou os jovens à acção em 35 workshops que da ria ao mar, do desporto à cultura, permitiram experimentar e aprender actividades como canoagem, olaria, surf, risoterapia, fotografia, dance fusion, entre outras. Ao longo dos três dias foi bem notada a matriz cristã deste festival. Nas manhãs da Aldeia Jota foi possível participar em orações conduzidas por carismas diferentes, aproveitar a tenda de oração permanente e terminar a noite numa ritmada Cristoteca, onde sons de música electrónica se fundem com músicas de mensagem.