A viagem foi programada ao pormenor, pernoitando em Beja, Montemor-o-Novo e Fátima, com um carro de apoio cedido pela Junta de Freguesia de Vila Nova de Cacela, conduzido por Manuel Matias, e um ‘mini-pelotão’ que integrou os ciclistas, Vitorino Mendonça e José Pedro dos Santos de Tavira, Luís Bandarra, Serafim Gonçalves, António José Nunes, José Carlos Antunes, Rui Matias, Elderico Simão e José Francisco Neves do Grupo de Cicloturismo Cacelense de Vila Nova de Cacela, com idades compreendidas entre 28 e 64 anos. Partiram de Tavira na manhã de quinta-feira, dia 11 de Junho, em direcção a Beja, numa distância de 145 kms., passando por Vila Nova de Cacela, Castro Marim, Odeleite e Mértola, sendo acompanhados em parte do percurso, por outros cicloturistas, num dia de calor abrasador, demorando quase 6 horas e 15 minutos a fazer este trajecto. No segundo dia, sexta-feira, dia 12, percorreram 141 kms, desde Beja até Montemor-o-Novo, em cerca de 4 horas e 30 minutos, debaixo de temperatura bastante elevada, passando por Cuba, Alvito e Viana do Alentejo, onde uma fonte à beira da estrada dessedentou os acalorados peregrinos. O último dia, sábado, 13 de Junho, saíram de Montemor-o-Novo, numa manhã fresca, que logo se transformou num dia quente igual aos anteriores. Lavre e Coruche ficaram para trás e, alguns percalços surgiram no caminho. Primeiro um desvio de estrada inesperado, por motivo de obras numa ponte, obrigou a pôr à prova o sentido de orientação, já que a sinalização era deficiente. O velho ditado popular “quem tem boca vai a Roma” e a nova tecnologia GPS, deram-lhes o itinerário, mas não os livrou de fazer mais uns 20kms. Depois, já refeitos e a rolar em terreno plano, José Pedro caiu, sem gravidade. Novamente em marcha passaram por Almeirim, Alpiarça, Golegã, e enfrentaram as derradeiras subidas de Torres Novas e Ourém, até chegarem a Fátima, acabando por percorrer neste dia 175 Kms., após pedalar durante 7 horas e 40 minutos. À chegada, tiraram-se umas fotografias para a posteridade e, depois do retemperador banho e jantar, distribuíram-se lembranças alusivas ao evento. Ao fim do dia, todos rumaram ao Santuário, e cada um teve oportunidade de participar, na medida da sua fé, nas cerimónias religiosas junto à Capelinha das Aparições. No dia 13, domingo, foi o regresso, após participação, por alguns, logo de manhã, à Eucaristia dominical, na Basílica do Santuário. As Juntas de freguesia de Santa Maria de Tavira, Santiago de Tavira e de Vila Nova de Cacela também se associaram a esta cicloperegrinação, colaborando com oferta de lembranças. Este grupo, desde 1997 vem concretizando o objectivo de, anualmente, pedalar de Tavira até Fátima, conciliando a prática do cicloturismo com o lado espiritual, tendo a esperança de poder voltar a repetir a experiência no próximo ano.