Um grupo de pessoas, oriundos da paróquia da Luz de Lagos, particularmente da comunidade de Almádena, esperava a Virgem Maria, seguindo-se uma breve celebração de despedida com a encenação da aparição do anjo aos três pastorinhos. O padre Abílio Almeida, pároco “in solidum” de Budens e de Luz de Lagos, aproveitou a ocasião para exortar os presentes a reterem as palavras de Nossa Senhora nas Bodas de Caná pela sua actualidade nos dias de hoje. Também o padre José Manuel Pacheco, pároco de Budens e da Luz de Lagos, assegurou que a visita à primeira paróquia deixou desafios. “Continuar em Budens e iniciar nas outras comunidades as catequeses mariana; promover encontros e convívios de casais iniciados com a Missão Redentorista realizada no último ano; reforçar o grupo de preparação para a Confirmação; continuar as actividades conjuntas que já se realizam; promover uma maior entre-ajuda entre as comunidades” foram algumas das interpelações enumeradas pelo sacerdote como consequência da visita da imagem mariana. Um representante de cada comunidade de Budens apresentou um símbolo como sinal daquela semana passada na presença da imagem de Nossa Senhora. De entre as iniciativas realizadas ao longo da semana merece particular destaque a procissão pelos bairros da aldeia piscatória da Salema, assim como a bênção das famílias na mesma localidade e procissão de velas em Burgau até à praia para bênção dos pescadores. O cortejo seguiu então para a entrada de Almádena onde, no largo do Poço, devidamente engalanado para receber a imagem, já se encontrava um grupo de pessoas ainda mais numeroso, algumas das quais provenientes propositadamente de Lisboa. A imagem peregrina, recebida com uma salva de palmas, cânticos e pétalas de flores, seguiu para o centro do largo, onde, junto a uma oliveira, se fez nova encenação com quatro crianças que recriaram os pastorinhos e o anjo. Seguiu-se então uma procissão até ao Centro Pastoral de São Gerardo Majela para, depois de um breve momento de acolhimento, se dar início à celebração da Eucaristia. O padre José Manuel Pacheco, na homilia, começou por lembrar, cintando Santo Anselmo, que “Deus é Pai de todas as coisas criadas, mas Maria é Mãe das coisas recriadas”. No dia em que, simultaneamente, se celebrava a solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, o sacerdote referiu-se a essa mesma coincidência. “Quando me foi comunicado o dia em que Maria chegava à nossa paróquia disse ao senhor Bispo: mas terá sido o Espírito Santo?”, confessou o padre José Manuel Pacheco. “É uma alegria sabermos que esta Senhora da Esperança, que nos vai dar Jesus no Natal, faz agora gerar Cristo em nós. Ela quer que este Filho se gere no nosso coração”, afirmou, garantindo que Nossa Senhora veio para trazer uma mensagem. “Maria vem dar-nos um recado do seu Filho e continua a dizer-nos hoje: «Fazei o que Ele vos disser». Portanto a nossa devoção a Maria só tem sentido se nos levar a Jesus”, frisou, lembrando que Maria gera “encontro e festa”, desde logo na Eucaristia. “Vejam quantos irmãos se encontraram hoje”, observou. “Maria vem dizer-nos para seguir Jesus e vai gerar encontro nas famílias e com as famílias e vem gerar festa. Mas esta festa não pode ficar na emoção. Nalguns sítios ficámos muito emocionados, mas eu agora quero ver os frutos”, interpelou. Lembrando que “Maria é fonte de comunhão” e que “essa comunhão está na Eucaristia celebrada”, apelou à vivência da fé na comunidade. “O apelo que Nossa Senhora nos vem deixar é também à comunhão”, referiu. A terminar, exortou ao empenho missionário. “Maria convida-nos à missão. Não ficamos por aqui. O que é que a imagem peregrina é para nós hoje? É um apelo a que nós possamos, todos unidos, em Maio, celebrar a Santa Missão Popular Redentorista”, lembrou, interpelando ao anúncio daquela iniciativa. “Almádena agora tendes Maria, mas antes de Maria já tinhas Jesus no sacrário e na Eucaristia. Aproveitai estes dias. Aproveitai os vossos cinco dias Espiche, aproveitai os vossos cinco dias Luz, para que no dia 22, quando Nossa Senhora partir para o Barão de São Miguel possamos celebrar com mais alegria e coragem o Natal na nossa vida”, pediu. Para finalizar apelou à continuação da alegria. “Vamos ser profetas da alegria”, afirmou. A seguir à Eucaristia, realizou-se um convívio no salão, culminando o dia com a actuação do grupo “Cantando a Palavra” da paróquia de São Pedro de Faro. A imagem peregrina irá continuar na paróquia da Luz de Lagos, segundo o programa que se segue.