À margem de uma reunião do SDAM que teve lugar na passada sexta-feira, aquele responsável anunciou que um desses projectos passa por “ir ao encontro das necessidades sociais de um lugar de missão”. “Estamos a pensar onde e como, mas surgiu a ideia de ajudar a construir e equipar uma escola”, adianta o sacerdote, acrescentando que a concretização deste projecto passaria pela promoção de uma campanha para angariação de fundos na diocese algarvia para a edificação do equipamento. Complementarmente, o padre Leandro Garcês explica que seria igualmente importante a angariação de voluntários para ajudar na construção daquele projecto ou até, por exemplo, para organização da biblioteca da nova escola. O destinatário do possível apoio algarvio também foi pensado, tendo sido analisada a possibilidade de construir a infra-estrutura na zona de Luena, uma das mais pobres de Angola e, segundo o padre Leandro Garcês, “uma das zonas mais fustigadas pela guerra”. “É uma diocese bastante pobre, onde as pessoas sofreram muito. As infra-estruturas como os hospitais, escolas e igrejas foram totalmente destruídas”, justificou. Com o projecto em fase de amadurecimento, até porque actualmente a diocese do Algarve, está empenhada numa outra campanha, proveniente da renúncia da Quaresma que hoje tem início, e que reverterá a favor de uma paróquia também de Angola, o director das Obras Missionárias Pontifícias lembrou que “também na Saúde há necessidades”. “As pessoas com formação na área farmacêutica, de enfermagem ou de medicina poderiam ajudar”, constata o sacerdote, enumerando as muitas carências relacionadas com este sector. Outra possibilidade é também a formação de catequistas. O padre Leandro Garcês, explica que a concretização de uma “Escola de Catequese” seria essencial para formar catequistas diferentes dos que temos nas paróquias europeias. “Não se trata do catequista tradicional da Europa, mas de um responsável pela comunidade na ausência do padre”, concretiza. Tendo em vista auscultar a realidade dos diversos territórios de missão e angariar o maior número possível de colaboradores para o trabalho nesta área da pastoral, o SDAM tem previsto reunir com todos os elementos algarvios que realizaram experiências de missão Ad Gentes nos últimos anos, o que já começou a ser feito.