Observando a realidade actual, o Bispo diocesano criticou a sociedade. “É evidente que a sociedade de hoje quer banir o sofrimento, banindo a vida das pessoas. Não sei se vos tendes apercebido, mas, na comunicação social há uma campanha quase escondida de mentalização de toda a gente sobre a eutanásia, tal como houve antes sobre o aborto”, lamentou D. Manuel Quintas, admitindo puder haver qualquer dia um referendo sobre o tema. “É próprio de quem não encontra sentido para o sofrimento”, considerou, explicando que “devemos banir ou diminuir o sofrimento”. “Mas uma coisa é banir o sofrimento e outra coisa é banir a pessoa”, frisou. Na homilia, o Bispo do Algarve constatou ainda que “cada vez mais, a sociedade de hoje evita símbolos religiosos natalícios”. “Há dezenas de milhares de lâmpadas e luzes, mas sem nenhum símbolo natalício porque isso pode ferir alguém”, lamentou, considerando que “não há símbolo mais forte e mais potente que a luz”, essa luz que os cristãos são chamados a ser.