D. Manuel Quintas nas celebrações da eucarísticas de abertura desta semana de visitas que tem decorrido simultaneamente nas duas comunidades paroquiais explicou que “dentro dos deveres que o Bispo tem em relação à sua diocese e às suas paróquias, este é dos mais importantes”. “O Bispo deve visitar as paróquias, não como faz habitualmente, mas com mais tempo, disponibilizando-se para conhecer essas comunidades cristãs, para conhecer as pessoas, a sua realidade, anseios, aspirações, dificuldades, projectos esperanças e alegrias”, justificou, sublinhando igualmente a importância de também ele se dar a conhecer. O Bispo diocesano elucidou que a visita pastoral “visa passar da convivência humana a uma convivência ao nível da fé”, valorizando o sentido de “pertença à mesma família”. “O Bispo recorda sempre aos membros de uma paróquia toda a igreja diocesana porque é o sinal visível da unidade e da comunhão de uma diocese”, complementou. D. Manuel Quintas frisou a importância da semana de visita pastoral como ajuda para “crescer na fé”. “O meu objectivo é estimular-vos mais na fé para nos sentirmos mais unidos e em comunhão uns com os outros, tornando mais viva esta pertença comum à mesma família”, adiantou. A terminar, o Prelado manifestou ainda a intenção de rezar para que as visitas pastorais constituam um “tempo de dom e de graça” e que todos se encontrem mais disponíveis para acolher os apelos de Deus. D. Manuel Quintas pediu ainda aos paroquianos “que a luz da fé nunca se apague” e seja “alimentada com escuta da palavra, Eucaristia, a oração, com a prática da caridade e do amor”. Ao longo da semana o Bispo do Algarve tem vindo a encontrar-se com os diversos agentes de pastoral de cada paróquia e com as entidades oficiais locais. Mais fotos da visita pastoral a Querença na Galeria de Imagens