A tradição, ao que parece, tem supostamente as suas origens no conhecido milagre da rainha Santa Isabel e assenta no culto do divino Espírito Santo que é uma particularidade do povo açoriano. Ao longo dos séculos as tradições perduraram e as festas açorianas caracterizam-se pelo seu carácter fortemente religioso, destacando-se assim as festas do Espírito Santo que se estendem também a todas as ilhas açoreanas. Até aos dias de hoje intenção de fazer bem ao próximo, especialmente aos mais necessitados, continua viva e ‘emigrou’ com os açorianos que se radicaram nos EUA. Nesta 23ª edição, as festividades que tiveram ainda a participação do cónego António Rego, da presidente da Câmara de Ponta Delgada, Berta Cabral, do jogador de futebol ex-internacional português, Pedro Pauleta, e do presidente da Assembleia Legislativa do Governo Regional dos Açores, Francisco Coelho, tiveram uma vez mais como ponto alto nos dois dias de celebração, a Eucaristia e a procissão da Coroação que durou cinco horas, entre a igreja de Sant’Ana e o Kennedy Park O imponente cortejo voltou a ser participado pelas diversas irmandades das várias comunidades portuguesas presentes nos estados americanos. Carros alegóricos, mordomias, bandas de música ajudaram a abrilhantar a procissão. D. Manuel Quintas presidiu ainda à bênção e distribuição das 365 pensões que incluem geralmente pão, carne e massa sovada para os mais necessitados. O Bispo do Algarve destacou a sumptuosidade das festas pelo número de participantes que reúnem, a intensidade da fé dos participantes e a partilha e o apelo à solidariedade com os outros, promovidas através da distribuição das pensões e do bodo de leite. O prelado esteve ainda com o seu homólogo de Fall River, D. George W. Coleman, e participou também numa recepção oferecida pelo mayor local, Bob Correia, a Berta Cabral e que reuniu personalidades da região.