D. Manuel Neto Quintas referiu à FOLHA DO DOMINGO que se tratou de uma visita “muito proveitosa” e “enriquecedora”, porque eram duas comunidades paroquiais que “conhecia apenas de celebrações ocasionais” e das quais “não tinha um conhecimento amplo e aprofundado”. Esta visita proporcionou-me esse conhecimento”, afirma o Bispo diocesano, garantindo que o contacto com os diferentes grupos que constituem as paróquias, quer com a realidade local das escolas, das Juntas de Freguesia, entre outros, permitiu “perceber os seus projectos, anseios e preocupações”. Os desafios deixados foram distintos, pese embora o Prelado tenha incentivado ambas as comunidades paroquiais a “aprofundarem a fé através do conhecimento da Palavra de Deus”. Aos cristãos de Porches, D. Manuel Quintas exortou-os a colaborarem na integração de 67 famílias algarvias (de Lagoa) que foram naquela freguesia realojadas num bairro social. “Tem de haver um esforço comum, não só da comunidade que acolhe, mas também de quem chega que se predispõe para ser acolhido e integrado”, realçou o Bispo do Algarve. Em relação, a Armação de Pêra, D. Manuel Quintas reuniu-se, juntamente com o pároco e os seus colaboradores mais directos, para ver a possibilidade de se avançar com o projecto de construção de um novo complexo paroquial. O Bispo do Algarve defendeu que a futura infraestrutura deverá englobar um espaço maior para a igreja e um salão polivalente que possa, no Verão, servir para acrescentar ao templo o espaço suficiente para acolher todos os visitantes. De acordo com o Bispo diocesano a estrutura deverá igualmente servir de apoio aos grupos de jovens e ao agrupamento local do CNE – Corpo Nacional de Escutas. O Pastor diocesano ficou ainda agradado com o grupo de cerca de 50 jovens crismados, existentes nas duas paróquias. “Estão bastante motivados e sensibilizados para participar nas iniciativas diocesanas, particularmente na próxima Jornada Diocesana da Juventude, tanto mais que será realizada nesta vigararia de Albufeira. Alguns manifestaram também vontade de participar na Peregrinação Diocesana a Taizé no próximo Verão”, destacou D. Manuel Quintas, acrescentando que “esta visita pastoral serviu também para lhes dar ânimo e força e lhes incutir coragem em superar as dificuldades que encontram em constituir-se verdadeiramente como grupo de jovens, de modo a serem sinal e testemunho dentro das próprias paróquias”. Na comunidade de Porches, o Bispo do Algarve salientou ainda a “boa colaboração” prestada pela comunidade das irmãs Franciscanas Missionárias de Maria. “São uma presença significativa porque são conhecidas e conhecem bem a realidade e pela colaboração que prestam a todos os níveis: na catequese, liturgia, visita aos doentes e assistência a famílias carênciadas”, afirmou D. Manuel Quintas. Também o pároco, padre Joaquim Beato classificou a última semana como “uma experiência muito válida e interessante” e garante ter sido uma “oportunidade que as pessoas tiveram para descoberta do Bispo”. “As pessoas reagiram bastante bem e ficaram com a sensação e a experiência do que representa o Bispo e do seu valor dentro da própria diocese. Particularmente penso que foi também motivo para as pessoas crescerem na fé, na descoberta da igreja e no seu compromisso cristão”, afirma o sacerdote, convencido de que este “incentivo e estímulo” terá um “impacto grande na vida das pessoas”. “Penso que a visita marcará sobretudo a vida das crianças e dos jovens porque eles tinham uma noção de um Bispo um pouco distante”, frisou. Contribuição das paróquias As duas comunidades paroquiais de Armação de Pêra e de Porches quiseram oferecer uma contribuição ao Bispo diocesano para a aquisição de um novo computador e video-projector, depois de os seus lhe terem sido furtados, na zona da Senhora da Rocha, logo no início da visita pastoral. Assim, no final das Celebrações Eucarísticas de encerramento da visita pastoral as comunidades de Armação de Pêra e de Porches fizeram a oferta, respectivamente, de 1500 e 500 euros.