Três das comunidades – Budens, Burgau e Figueira –, reunidas em assembleias, manifestaram a importância destes pequenos grupos de reflexão e da sua urgência e necessidade nos nossos dias. As pessoas reflectem, partilham e assumem desafios em conjunto com vista à irradiação da Palavra de Deus no seu meio ambiente que é, em geral, hostil ou indiferente à fé. Na quinta e sexta-feira houve anúncio “kerigmático” da Palavra e, no sábado, inserido no pós-missão, realizou-se na Figueira a procissão anual de Nossa Senhora de Fátima, tendo sido antecedida da Eucaristia e Pregação. No final da procissão houve um convívio em que todos participaram com elementos vindos das restantes comunidades da paróquia e também de Vila do Bispo e de Lagos. A Eucaristia de encerramento foi celebrada em Budens, tendo sido presidida pelo vigário-geral da diocese do Algarve, padre Firminio Ferro, que salientou na sua homilia a actualidade das assembleias familiares e a sua importância na vida da comunidade. Salientou ainda a importância e a urgência, para o crescimento na fé, de todos se comprometerem mais com a comunidade cristã. A assembleia, composta também de alguns estrangeiros (o que começa a ser muito frequente a partir de Maio) foi convidada a continuar a viver o espírito de missão e a lançar as “sementes”, sem estar demasiado preocupada com os frutos imediatos. “Foi uma grande estímulo para a comunidade a presença do vigário-geral como também a do missionário que partilhou durante toda a semana a sua vida e a sua fé com aquele povo”, referiu o pároco, padre José Manuel Pacheco. No final da Eucaristia, o prior anunciou a vinda da Imagem Peregrina da Nossa Senhora de Fátima à paróquia, agendada para o próximo mês de Dezembro, no âmbito da peregrinação à diocese algarvia durante os dois próximos anos, considerando ser mais uma oportunidade de renovamento missionário para a paróquia.