No dia 17 de Fevereiro de 2006, a autarquia vila-realense assinou um protocolo com a FENACHE, no qual prevê a cedência de terrenos destinados à construção de habitação a custos controlados. Sendo o município proprietário de um terreno na freguesia de Monte Gordo com apetência construtiva de 18.360 metros quadrados destinados a habitação e 612 metros quadrados a comércio, é interesse do mesmo afectar o terreno à construção de habitação a custos controlados para venda, preferencialmente a munícipes do concelho que constam da lista de inscritos para habitação própria. A UNIFARO – União de Cooperativas de Faro, é a cooperativa designada para promover todas as acções previstas no protocolo. O preço do terreno será calculado com base no decreto lei nº 382/89 e de acordo com o preço de venda dos fogos a custos controlados a fixar pelo INH – Instituto Nacional de Habitação. A operação de loteamento será realizada numa parcela de terreno municipal, em Monte Gordo, destina-se a cidadãos com capacidade financeira insuficiente para adquirirem habitação própria em regime de mercado livre. O projecto contempla a construção de 160 fogos em edifícios habitacionais plurifamiliares com 4 pisos (à excepção do lote nº 1, que terá apenas 3 pisos por questões volumétricas e de integração com a envolvente) e 3 lotes a destinar à implantação dos equipamentos de utilização colectiva, sendo um lote de 152 metros quadrados destinado à instalação de uma IPSS – Instituição Particular de Solidariedade Social ou de uma colectividade local, um lote de 2116 metros quadrados destinado a um pavilhão polidesportivo coberto e ainda um lote com 648 metros quadrados para a uma nova igreja, “uma vez que – entende a autarquia – a igreja de Monte Gordo já se revela insuficiente”. A área de intervenção definida para esta operação é de 22.663 metros quadrados e localiza-se a norte do extremo nascente da Avenida da Catalunha, e a sul do perímetro urbano do aglomerado populacional de Monte Gordo.