O ponto alto será a celebração da Eucaristia Solene, no dia 19, pelas 17 horas, mas como preparação, e para dar a conhecer a sua história a todos quantos queiram estar presentes, haverá um tríduo com conferências sobre a doutrina espiritual da Beata Isabel da Trindade nos dias 16, 17 e 18, sempre pelas 21.30 horas. “Foi no meio do mundo que Isabel da Trindade, como leiga empenhada no amor a Deus e ao próximo, descobriu este abismo de Deus que habita a nossa alma, este Deus que quis e quer ser o eterno Emanuel – Deus Connosco –, que nos fala no mais íntimo silêncio da nossa alma para nos fazer templo do Seu Espírito Santo para sermos Sua morada e experimentarmos já nesta vida sermos feitos à Sua semelhança, deixando-nos transformar por Jesus Cristo, o Seu rosto humano, este Deus escondido e redescoberto na Fé”, explicam as irmãs Carmelitas Descalças. As religiosas consideram que a razão por que importa conhecer a espiritualidade e a sua vida desta Beata foi o facto de ter sido “uma verdadeira contemplativa e de procurar a perfeição cristã o­nde quer que se encontrasse”. “Esta experiência do encontro pessoal da jovem Isabel com Jesus Cristo no meio das suas ocupações e responsabilidades diárias, fazem dela uma mestra para os cristãos de hoje e de sempre, para nos ensinar a viver numa presença de Deus contínua, potenciando assim cada gesto, cada atitude, cada olhar, cada pensamento, a ser algo com sentido e em harmonia com o todo do nosso Ser e toda a nossa Vida”, acrescentam, defendendo que “a mulher, o marido, os filhos, os amigos e os inimigos, a casa e o emprego, as opções políticas e tempos de lazer, a educação dos filhos e o voluntariado, as filas de trânsito e o tomar a bica, o carro e o animal de estimação… tudo, mesmo tudo, vivido na consciência da presença de Deus, deixam de ser fragmentos duma vida de canseiras e passam a ser momentos que compõem a unidade, a simplicidade e a liberdade da Vida dos filhos de Deus, o­nde as preocupações, as dúvidas, os desencantos e tudo o que causa dor, não esmagam mas antes se transformam em amor”.