Este ano, essa dificuldade foi ultrapassada e aquela entidade para a formação de leigos do Algarve acabou mesmo por dar início a uma proposta de formação de agentes de pastoral para o exercício de ministérios tendo tido a adesão inicial de 37 inscritos, oriundos das paróquias de Estoi, Luz de Tavira, Matriz de Portimão, Monchique, Montenegro, Olhão, Quarteira, São Tiago de Tavira, São Luís, São Pedro e Sé de Faro e Silves. O curso, com a duração de dois anos, funciona apenas às segundas-feiras, das 21 às 23 horas, tem mesmo a designação de ‘Escola de Ministérios’ e visa “o aprofundamento da fé pessoal para vivê-la de uma maneira mais consciente” e simultaneamente “preparar leigos para que possam prestar o serviço que já prestam às suas paróquias e à diocese com um conhecimento mais aprofundado do que significa a Igreja e ser cristão”. Este primeiro trimestre é composto pela disciplina de Introdução ao Antigo Testamento, leccionada pelo seminarista, finalista de Teologia, Flávio Martins e pela disciplina de Os Sacramentos da Igreja (Liturgia), da responsabilidade do padre Carlos de Aquino. A grande novidade, relativamente a anteriores experiências, é que esta formação a desenvolver nas instalações em Faro, em seis trimestres (três em cada ano), será reconhecida pelo ISTE – Instituto Superior de Évora que é a entidade que deverá colocar a chancela no diploma a emitir. O padre Mário de Sousa, coordenador do CEFLA, na Assembleia Diocesana da passada sexta-feira, deixou claro a este respeito que “o CEFLA não é um curso”, mas “um centro que poderá proporcionar quer o Curso Básico de Teologia, quer outros cursos”. Assim, já no início de 2008 iniciar-se-á um Curso sobre o Evangelho de São João, a leccionar na Penina (Alvor), em Janeiro, Fevereiro e Março, em Faro, em Fevereiro e Março, e num local a designar no Sotavento, em Abril e Maio.