Dentro de 2 anos, quando passar a contar com mais duas salas para 1 e 2 anos, o novo infantário paroquial alargará a sua capacidade a mais 40 crianças, procurando assim completar a sua resposta às necessidades existentes. O Centro Paroquial contava já em Estômbar com uma creche com capacidade para 122 crianças, embora tenha apenas em frequência 110, das quais 44 são apoiadas pela Segurança Social. Igualmente em Estômbar, a instituição paroquial conta ainda com um jardim-de-infância com capacidade para 75 crianças, embora tenha apenas em frequência 62, das quais 45 são apoiadas pela Segurança Social. O ATL, também a funcionar no mesmo local, com capacidade para 25 utentes, conta actualmente com 20 crianças, todas elas apoiadas pela Segurança Social. O novo infantário da Mexilhoeira da Carregação, de arquitectura moderna com benefício de muita luz interior, cuja obra ultrapassou o milhão de euros, teve início em Maio de 2006 e pretende, como referiu o padre Domingos Fernandes, ser “uma resposta da comunidade cristã às solicitações do meio envolvente”, concretamente de Porches, Lagoa, Carvoeiro, Portimão, e sobretudo de Estômbar, Mexilhoeira da Carregação e Parchal. Em termos de apoios, a paróquia contou apenas com a colaboração da Câmara de Lagoa, que financiou a obra com um total de 375 mil euros em três fases (3 anos), com empréstimos de outras instituições no valor de 300 mil euros, e com a colaboração de particulares que emprestaram cerca de 100 mil euros sem juros. D. Manuel Quintas congratulou-se com a obra que disse ser fruto, “não só de tudo aquilo que o padre Domingos representa, mas também das autoridades locais e distritais que uniram esforços e entenderam a sua urgência, em resposta às necessidades locais”. Já o presidente da Câmara de Lagoa salientou que “a paróquia de Estômbar, sob o impulso do padre Domingos, tem tido um enorme empenhamento no sentido de instalação do apoio social que é manifestamente invulgar”, destacando as obras que o sacerdote tem levado por diante na pastoral, mas com particular incidência na acção social. O autarca destacou ainda que o esforço se deve também à comunidade, mas sobretudo ao pároco que considerou “o motor para que as coisas andem”. “Hoje as crianças deste nosso concelho estão mais valorizadas e uma preocupação que as famílias tinham vai estar mais satisfeita”, acrescentou José Inácio. À FOLHA DO DOMINGO, o edil testemunhou a “boa parceria” com a paróquia de Estômbar existente “há muitos anos” e defendeu dever “haver força na sociedade para galvanizar os esforços que são feitos”, cabendo ao Estado, com o apoio dos organismos públicos, saber entender isso e sempre que possível “motivar para que apareça, incentivar se já tiver aparecido e contribuir para que as coisas se tornem grandes”. “Esse trabalho tem sido feito aqui na paróquia de Estômbar”, concluiu. Reconhecendo que a legislação nesta área é exigente, sobretudo para um edifício construído de raiz, o padre Domingos Fernandes explicou como é que a paróquia conseguiu responder aos requisitos impostos pelo Estado. “Fomos habilidosos – disse –, pois à medida que íamos avançando, levávamos o projecto à Segurança Social, de modo que andámos dois anos a fazer e a corrigir o projecto simultaneamente com a Direcção Regional de Educação e com a Segurança Social”. Comunidade aspira ser vicariato Aproveitando ainda a presença do Bispo diocesano, o pároco referiu-se às múltiplas estruturas que a comunidade da Mexilhoeira da Carregação já possui, estando “pastoralmente organizada”. O padre Domingos Fernandes considerou natural que “daqui a algum tempo a comunidade se possa constituir como vicariato”, desejo que, segundo justificou, irá também ao encontro do querer da população. Também o presidente da Câmara de Lagoa se referiu ao tema, associando-se às palavras do sacerdote, deixando o assunto à consideração de D. Manuel Quintas por ser exclusivamente da sua competência. Recorde-se que as comunidades são constituídas vicariatos numa fase que precede a constituição como paróquias.