Com a chuva a marcar presença por alguns períodos, pároco e paroquianos aguardavam num terreno encostado à EN125, à entrada da localidade, onde foi montado um palco para o momento inicial de acolhimento à imagem mariana. A recitação do Terço e o ensaio de alguns cânticos marianos marcaram o tempo de preparação que antecedeu a espera pela representação de Armação de Pêra, sendo que o momento de boas vindas, protagonizado pelos jovens da Mexilhoeira Grande, teve início mal chegou a imagem de Nossa Senhora. Significativa foi a apresentação, a Nossa Senhora de Fátima, das comunidades que compõem a paróquia: Alcalar, Arão, Figueira, Mexilhoeira Grande, Montes de Cima, Pereira e Senhora do Verde. Após a breve celebração, iniciou-se a procissão silenciosa, composta por largas centenas de pessoas, incluindo o pároco, padre Joaquim Beato, e os paroquianos de Armação de Pêra, até ao adro da igreja paroquial com o andor levado em ombros. Ali, depois do acendimento e da bênção das velas e após reflectirem sobre algumas particularidades da vocação da Virgem Maria, os fiéis foram convidados a manter acesa a luz da fé e caminharem, ao longo de 5 quilómetros, até à Aldeia de São José de Alcalar. Pelo caminho, com a imagem mariana a ser transportada por uma carrinha de caixa aberta, cedida pela Câmara de Portimão, a recitação do Rosário intercalou com os momentos de silêncio e com os cânticos marianos. Chegado a Alcalar, o cortejo dirigiu-se para o largo do Centro Juvenil, tendo a multidão sido surpreendida pela encenação das Bodas de Caná, acontecimento que marcou o início da vida pública de Jesus, onde transformou água em vinho, e a primeira intervenção da sua Mãe nesse contexto. Era o início de uma performance que incluiu também momentos musicais e uma projecção levada a cabo pelo grupo de jovens local, com a colaboração de 3 noviços da Companhia de Jesus, a mesma do padre Domingos Costa, o pároco da Mexilhoeira Grande. Os noivos de Caná receberam os muitos “convidados” com música e um apelo à festa e à degustação de alguns bolos. Logo a seguir, o convite seria para a dança. Com a chuva a marcar novamente presença, e com mais intensidade, a intervenção dos jovens continuou, sem que ninguém arredasse pé, com um flagrante contraste entre vidas de algumas personagens encenadas para o reino da fantasia, mas que podiam perfeitamente ser reais. O António, de 46 anos, que há 10 pede para comer, a quem faltava dinheiro; o Yasser, de 11 anos, natural do Iraque, onde procura pelos pais por não saber se morreram na guerra, que ansiava por paz; a dona Conceição, de 83 anos, que lamentava a falta de tempo das pessoas para conversar por necessitar de companhia; o dr. Guedes, de 52 anos, empresário de uma multinacional, que não admitia não conseguir parar e a quem faltava o silêncio; a Joana, de 16 anos, que sonhava ser actriz, modelo, cantora, a quem faltava futuro; a Madalena, de 34 anos, prostituta, que envelheceu à força, sem nunca ter vivido, necessitada de afecto; a Solange, de 27 anos, que saiu da sua Angola à procura de melhor vida, mas a quem faltava amigos do seu país; o João, de 9 anos, que se fechava no quarto a chorar baixinho sempre que ouvia os gritos que vinham da sala, a quem faltava família; o Manuel, de 47 anos, há 3 anos despedido da fábrica onde trabalhava, a quem faltava emprego; e o indiano Rashid, de 15 anos, com corpo de 8, para quem cada dia era de sobrevivência e que procurava comida, foram as personalidades em destaque. Estava criado o contexto para a confrontação pessoal de cada um com a Pessoa de Jesus Cristo sugerida pela projecção que se seguiria. Os jovens pediram então a cada um dos presentes que, de entre as 6 “talhas” do Afecto, Alegria, Confiança, Esperança, Paz e Perdão, indicassem, através da colocação de um pequeno papel no seu interior, a que mais falta lhe faz para estar “mais próximo de Deus”. A boda terminou com a prova do vinho novo, servido a todos. No final da recepção à imagem peregrina, que o padre Domingos Costa considerou ter sido um “grande acolhimento” a Nossa Senhora de Fátima, o sacerdote convidou os paroquianos a participarem na oração que se seguiu pelas 22. 30 horas na igreja matriz. Já anteriormente o prior tinha salientado que é através de acontecimentos como aquele que uma terra se torna grande. “Que a partir de hoje, e depois destas duas semanas, a nossa terra se possa chamar com mais razão Mexilhoeira Grande”, desejou. A imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima permanecerá agora até 16 de Fevereiro, dia em que passará para a paróquia de Alvor segundo o programa que se segue. Mais fotos na Galeria de Imagens Programa da Visita da Imagem Peregrina à paróquia de Alvor Centro de Alvor – Igreja matriz do Divino Salvador 16 de Fevereiro (sábado) 17.30h – Concentração na rotunda de Alvor Procissão para a Igreja Matriz Eucaristia Tempo de oração 17 de Fevereiro (domingo) 10.00h – Eucaristia 15.00h – Encontro com crianças e jovens 21.00h – Encontro com noivos e famílias 18 de Fevereiro (segunda-feira) 10.00h – Tempo de oração 15.00h – Encontro com doentes e idosos 20.30h – Eucaristia Celebração penitencial 19 de Fevereiro (terça-feira) 10.00h – Tempo de oração 15.00h – Encontro com doentes e idosos 20.30h – Eucaristia Celebração penitencial 20 de Fevereiro (quarta-feira) 10.00h – Tempo de oração 15.00h – Encontro com crianças, jovens e catequistas 20.30h – Eucaristia 21.00h – Aparições encenadas pelo CNE (no salão paroquial) 21 de Fevereiro (quinta-feira) 10.00h – Tempo de oração 15.00h – Encontro com alunos das escolas 20.30h – Eucaristia Exposição do Santíssimo Sacramento 22 de Fevereiro (sexta-feira) 10.00h – Tempo de oração 15.00h – Encontro com grupos (vários) 18.30h – Partida para capela de Sto. André da Penina Centro da Penina – Capela de Sto. André 22 de Fevereiro (sexta-feira) 19.00h – Acolhimento 20.30h – Eucaristia Celebração mariana 23 de Fevereiro (sábado) 10.00h – Tempo de oração 18.00h – Eucaristia (em inglês) Exposição do Santíssimo Sacramento com comunidade inglesa 21.00h – Conferências Missionárias Marianas pelos sacerdotes claretianos Pe. Pina Ribeiro e Artur Teixeira (Centro Apostólico de Sto. André) com participação do Grupo Coral Paroquial 24 de Fevereiro (domingo) 10.30h – Encontro com crianças e jovens 12.00h – Eucaristia Consagração da Comunidade local 15.00h – Celebração penitencial 21.00h – Aparições encenadas pelos jovens 25 de Fevereiro (segunda-feira) 10.00h – Tempo de oração 15.00h – Encontro com doentes e idosos 21.00h – Procissão de velas 26 de Fevereiro (terça-feira) 10.00h – Oração 15.00h – Acção de Graças 17.30h – Partida para a capela de N. Sra. da Conceição em Montes de Alvor Centro de Montes de Alvor – Capela de Montes de Alvor 26 de Fevereiro (terça-feira) 18.00h – Acolhimento (Largo do Paço) Encenação da 1ª aparição em 13 de Maio Procissão para a capela com recitação do Terço 20.00h – Eucaristia Exposição do Santíssimo Sacramento 27 de Fevereiro (quarta-feira) 07.00h – Laudes 12.00h – Angelus 15.00h – Adoração da Cruz 16.00h – Encontro com doentes e idosos 21.00h – Procissão de velas 28 de Fevereiro (quinta-feira) 07.00h – Laudes 12.00h – Angelus 15.00h – Adoração da Cruz 16.00h – Terço com crianças 20.30h – Eucaristia Celebração penitencial 29 de Fevereiro (sexta-feira) 07.00h – Laudes 12.00h – Angelus 15.00h – Adoração da Cruz 16.00h – Terço com adolescentes e jovens 18.00h – Despedida e acção de graças Partida para a Igreja Matriz (Alvor) Centro de Alvor – Igreja matriz do Divino Salvador 29 de Fevereiro (sexta-feira) 20.30h – Eucaristia 21.15h – Procissão de velas Bênção dos barcos e pescadores 23.00h – Acção de graças 01 de Março (sábado) 10.00h – Tempo de oração 15.00h – Hora do adeus Partida para a paróquia de Ferragudo