Contrariamente ao que estava previsto, os paroquianos de Almancil tiveram de trazer a imagem da Virgem Maria até à porta da igreja para que esta entrasse directamente para o seu interior. Conforme explicou o pároco de Quarteira, o padre Elísio Dias, o Santuário de Fátima, de entre as recomendações que deixou, advertiu para o facto de que a imagem de Nossa Senhora nunca fosse exposta à chuva. Já no interior do templo, depois de ter sido colocada em cima do andor trazido em ombros por paroquianos de Quarteira sob a orientação do padre Miguel Neto, a imagem da Cova da Iria foi saudada pelos muitos fiéis que encheram a igreja, apesar da noite pouco convidativa a saídas de casa. Visivelmente emocionado, o padre Elísio Dias, habitual participante nas peregrinações aniversárias do 13 de Maio no Santuário de Fátima, fez memória do essencial da mensagem trazida pela “Senhora vestida de branco”, considerando as aparições 1917 como “o céu que desceu à terra para ligar a terra ao céu”. Na celebração de acolhimento à imagem, que contou com alguns gestos simbólicos protagonizados pelos jovens, o sacerdote considerou ainda que a mensagem trazida por Nossa Senhora em Fátima “é a mesma mensagem de amor, de paz e de salvação que Jesus pregou na terra da Palestina”. “Arrependei-vos, fazei penitência, acreditai no Evangelho, amai a Deus”, concretizou o padre Elísio Dias. De seguida, centrou-se numa das principais características da Mãe de Jesus – a humildade – para a apresentar aos seus paroquianos como modelo a seguir, ainda que de forma não explícita. “Esta representa aquela mulher forte que se humilhou para que nós tivéssemos a salvação e para que nós fossemos eleitos no céu. Não olhemos para a imagem sobretudo porque é de Fátima ou porque é bonita, mas olhemos para a imagem sobretudo por o que ela representa: a humildade e a confiança de Maria”, pediu, lembrando que Nossa Senhora “não se exaltou, mas humilhou-se”. “Pôs-se à disposição do Senhor para tudo o que Ele quisesse, porque acreditava e amava”, acrescentou. A imagem peregrina de Maria, que permaneceu durante duas semanas em Quarteira, na passagem de do ano de 2008 para o de 2009, irá amanhã ser entregue, pelas 16 horas, às vizinhas paróquias de Loulé. Mais fotos, brevemente na Galeria de Imagens