A iniciativa, organizada pela Associação de Ciclismo do Algarve, “correu bem”, explica à FOLHA DO DOMINGO, Victor Calado, um dos responsáveis. “Foi uma experiência excelente a todos os níveis, desde a organização até à participação das pessoas em termos de fé, porque, embora sendo uma peregrinação de bicicleta, todos dias tivémos os nossos momentos de celebração da fé”, refere o major da GNR, um dos principais entusiastas do evento. Aquele responsável sublinha igualmente a importância da oração diária do rosário, bem como das celebrações da Eucaristia, que tiveram lugar em Alpiarça e na Basílica de Nossa Senhora de Fátima, esta última presidida pelo padre Rui Valério, pároco de Castro Verde, que integrou o grupo do Algarve, juntamente com mais dois elementos que entraram em Évora, a quem coube a assistência espiritual da cicloperegrinação. Entre os momentos que mais marcaram esta cicloperegrinação, Victor Calado destaca igualmente “a cerimónia da partida com a bênção dos peregrinos” ainda em Albufeira. “Foi com muita alegria que todos chegámos ao Santuário de Fátima e uma grande emoção que invadiu todos ao sentirmo-nos aos pés da Mãe, depois de tanto esforço e algum sofrimento”, acrescentou, testemunhando a integração dos participantes nas celebrações em Fátima. “Quatro integraram-se no serviço do acolitado, outros tantos participaram no transporte dos estandartes e 24 transportaram o andor de Nossa Senhora. Os restantes integraram-se na assembleia dos fiéis”, concretizou. Victor Calado realça ainda que, para os 12 que nunca tinham ido de bicicleta a Fátima, a participação nesta quarta cicloperegrinação constituiu uma agradável experiência, mas “foram muitas as emoções”. “Aqueles que participaram pela primeira vez, movidos pela curiosidade ou por razões de fé, tiveram algumas dificuldades, dada a extensão de algumas etapas”, no entanto “perante as dificuldades, foi notório o espírito de solidariedade, de amizade e de companheirismo”, refere o major da GNR, considerando que “os maiores obstáculos foram a falta de preparação de alguns cicloperegrinos e a chuva no dia 11 de Outubro”. Para o próximo ano há já a vontade de realizar a quinta edição até porque se aguarda uma presença especial em Fátima. “Atendendo a que se espera que no próximo ano o Papa BentoXVI, se desloque a Fátima para a sagração da Basílica da Santíssima Trindade, temos já algumas ideias para podermos estar presentes”, confessa Victor Calado.Para além dos atletas foram cerca de 20 os familiares que participaram nesta cicloperegrinação. No passado sábado, dia 21 de Outubro, reuniram-se todos, no Hotel Júpiter, em Portimão, para um jantar de confraternização.