Bernardino Caliço, vice-presidente da Associação de Ciclismo do Algarve, a entidade organizadora que todos os anos promove também a cicloperegrinação a Fátima por ocasião da comemoração da peregrinação do 13 de Outubro, explica que “a ideia de organizar esta iniciativa surgiu há 2 ou 3 anos”. “O ano passado pensámos mesmo em ir pela primeira vez a Santiago, mas não conseguimos e este ano, então, a oportunidade concretizou-se”, complementa aquele membro da organização, que classifica os cicloperegrinos que irão pedalar até Santiago como “pessoas com bastante fé”, a maioria dos quais assíduos na participação anual da cicloperegrinação Albufeira-Fátima. A etapa de ontem uniu Loulé a Ferreira do Alentejo, onde se juntaram mais 10 participantes de Lisboa que irão acompanhar até ao fim o grupo algarvio, cujos elementos são oriundos um pouco de todo o Algarve, de Portimão a Vila Real de Santo António, passando por Albufeira, Faro, Loulé e Tavira. Hoje os cicloperegrinos cumpriram a segunda etapa, o mais longo percurso velocipédico dos seis dias, de Ferreira do Alentejo a Alpiarça, num total de 165 quilómetros. Amanhã, seguirão de Alpiarça para Coimbra (120 kms) e na quarta etapa de Coimbra até ao Porto (130 kms). Na quarta-feira, a cicloperegrinação que conta com o apoio da Câmara de Loulé, sairá do Porto com destino a Valença do Minho, num total de 130 quilómetros e no último dia, 17 de Abril, de Valença até Santiago de Compostela (120 kms), com chegada prevista por volta das 14 horas. Na sexta-feira será o dia do regresso ao Algarve.