Os trabalhos iniciaram-se pelas 10 horas com uma Concelebração Eucarística e prosseguiram, depois de uma breve introdução geral, com os trabalhos de grupos, em que os participantes foram divididos em três grupos por regiões geográficas: vigararias de Faro/Tavira, Loulé-São Brás/Albufeira e Portimão/Lagos. Durante os trabalhos dos grupos, os padres e os diáconos presentes tentaram responder a diversas questões que lhes foram colocadas, nomeadamente «como aprofundar a comunhão dos presbíteros e a sua participação, enquanto Colégio Presbíteral, na vida e na missão da Igreja diocesana algarvia?». Ou «como proporcionar ao Clero, dentro de uma nova estruturação diocesana, o exercício mais adequado do seu ministério face às exigências e aos desafios pastorais que nos interpelam no presente e no futuro? Ou ainda «Como estruturar a Diocese, de modo a valorizar o contributo dos seus diferentes ministérios/carismas, presbíteros, diáconos, consagrados/as, leigos/as na realização da sua missão?». No final da tarde, os participantes juntaram-se em plenário o­nde partilharam as respostas e alargaram a reflexão, que agora vai ser aprofundada pelo Conselho Presbíteral e será continuada nas próximas reuniões mensais das Vigararias, uma estrutura intermédia que quase unanimemente foi considerada como algo a valorizar, como instrumento potenciador de unidade pastoral, a partir da qual poderão surgir as futuras unidades pastorais.