De manhã, o encontro teve início com a oração da hora intermédia, seguindo-se a conferência do padre Jacinto Farias, subordinada ao tema ‘A configuração a Jesus Cristo Cabeça e Pastor e a caridade pastoral’ (PDV, 21-23). O sacerdote sublinhou a configuração sacramental do presbítero com Jesus Cristo, sendo recebedor de um “poder espiritual” que é a “participação da autoridade pela qual Jesus, pelo seu Espírito, conduz a Igreja”. O padre Jacinto Farias lembrou que o sacerdote é chamado a ser “imagem viva de Jesus Cristo, esposo da Igreja” e que “o princípio interior que orienta e anima a vida espiritual do presbítero é a caridade pastoral, participação da caridade pastoral de Cristo”. O conferencista salientou ainda que “o sacerdote que acolhe a vocação ao ministério está em condições de fazer da sua relação com a Igreja uma escolha de amor, pela qual a Igreja e as almas se tornam o seu principal interesse, torna-se capaz de amar a Igreja universal e a porção dela que lhe é confiada, com todo o entusiasmo de um esposo na sua relação com a esposa”. Depois da conferência, seguiu-se a concelebração da Eucaristia presidida pelo Bispo do Algarve e o almoço. De tarde, o clero algarvio reuniu-se com o presidente da Caritas Diocesana do Algarve que sensibilizou para algumas das principais iniciativas da instituição para o novo ano pastoral. O padre Mário de Sousa, coordenador do CEFLA – Centro de Estudos e Formação de Leigos, informou também sobre o calendário lectivo para o presente ano, o padre Leandro Garces, director diocesano das Obras Missionárias Pontifícias, sensibilizou para o actual mês dedicado pela Igreja às Missão ad gentes, e o padre Domingos Fernandes, assistente regional do CNE – Corpo Nacional de Escutas falou sobre a situação do movimento no Algarve. O dia teve continuidade com a reunião presidida pelo Bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, onde se fez a avaliação da recente Peregrinação Diocesana a Fátima e se tratou de outros assuntos respeitantes ao clero algarvio. A jornada terminou, ao final da tarde, com as reuniões separadas de cada uma das quatro vigararias que compõem a Diocese do Algarve. Estes encontros do clero terão continuidade já no dia 11 de Novembro, com a intervenção do padre José Tolentino Mendonça, sobre o tema ‘Os desafios do tempo presente à identidade e à missão dos presbíteros. O discernimento evangélico (PDV, 5-7.10)’. O padre João Marcos, no dia 9 de Dezembro, falará sobre os temas ‘A vida espiritual no exercício do ministério’ e ‘Formação permanente e direcção espiritual’; o cónego Nuno Brás da Silva Martins, no dia 13 de Janeiro, sobre as temáticas ‘A existência sacerdotal e a radicalidade evangélica’ e ‘A pertença e a dedicação à Igreja particular’; o Bispo do Algarve, no dia 10 de Fevereiro, sobre o tema ‘Ao serviço da Igreja e do mundo: Servidores do mistério, da comunhão e da missão’; e o cónego José Pedro Martins e o padre Carlos de Aquino, no dia 19 de Março, sobre o tema ‘A «forma comunitária» do ministério ordenado e a fraternidade sacerdotal’. No dia 12 de Maio, a temática ‘A vocação sacerdotal na pastoral da Igreja’, ainda não tem orador confirmado. No dia 11 de Junho, o clero algarvio celebrará a solenidade do Coração de Jesus com o encerramento do Ano Sacerdotal e, no dia 21 de Junho, o Dia diocesano do Clero, este ano assinalado na vigararia de Faro.