O pároco de Aljezur explica que a construção de uma igreja própria para a comunidade “é um desejo antigo de há muitos anos que agora finalmente começa a ser concretizado”. “As pessoas estão entusiasmadas e com grande força para podermos levar por diante a obra. Falta agora reunirmo-nos para constituirmos uma comissão para podermos dar andamento ao processo”, acrescentou ainda o padre José Joaquim Câmpoa, que adiantou ainda que a Câmara de Aljezur tem já feito um projecto arquitectónico que terá de ser revisto. O sacerdote testemunhou também as fracas condições actuais da comunidade do Rogil para a celebração da fé. “O salão da Junta de Freguesia não oferece condições para a celebração e até porque muitas pessoas já não conseguem deslocar-se àquele espaço por causa das escadarias. Para além disso, o salão já é muito pequeno para tantas pessoas”, referiu.