Com o objectivo de celebrar os seus sete anos de carreira artística, o padre Borga, pensou fazer a digressão quaresmal, intitulada “Cantar e/por ser Solidário”, oferecendo os espectáculos em favor de uma causa especial. “Decidi oferecer os espectáculos a quem está sempre a pedir. Desta vez, em vez de estar à espera que pedissem, fui oferecer o espectáculo sobretudo às instituições que pensam no bem dos outros e estão ao serviço dos que mais precisam, para que possam também unir-se à razão de eu cantar”, explicou à FOLHA DO DOMINGO. O sacerdote acrescentou ainda que o desafio, lançado a 10 das 20 dioceses portuguesas, procurou levar a que aceitassem o seu espectáculo musical, sem que isso significasse qualquer encargo para quem organizava e que toda a receita resultasse para a causa que as diferentes instituições abraçam. “Estamos aqui a conjugar a razão da festa com a resposta às necessidades concretas de muita gente que precisa de quem pense nelas. É isso que se chama solidariedade”, observou o padre Borga. Durante o espectáculo, o sacerdote e músico justificou que a iniciativa só se concretizou devido ao apoio de algumas empresas que aderiram ao projecto, o que permitiu suportar os encargos com esta digressão quaresmal. Concretamente no Algarve, a iniciativa solidária reverteu na totalidade a favor do Lar da Mãe, a valência da Caritas Diocesana do Algarve que visa o acolhimento de mulheres grávidas em risco, um projecto que o padre Borga confessou não conhecer em concreto. “Não tive oportunidade de conhecer, mas sei que são obras que merecem todo o meu carinho e reconhecimento”, justificou. Com quatro trabalhos discográficos editados e publicados, o padre Borga, acompanhado por mais 7 músicos e 3 colaboradores, levou ao rubro os presentes com temas como “O Sol já Raiou”, “Deserto na Cidade”, “Cantar é Rezar Duas Vezes”, “Novo Olhar”, “Velho Marinheiro” ou “Sonho a Despertar”. A fim de cerca de hora e meia de concerto, com momentos de catequização pelo meio, despediu-se com o conhecido “Põe Tua Mão”, não sem que o público lhe tivesse pedido para cantar mais alguns temas. Com esta iniciativa a Caritas Diocesana do Algarve, responsável também pela venda dos bilhetes a 8 euros cada, terá recolhido para o Lar da Mãe, cerca de 6460 euros, já excluindo os 5 por cento de IVA, a cujo pagamento o Estado obriga. Mais fotos na Galeria de Imagens