Ao todo foram distribuidos por aquela conferência, que exerce a sua acção sócio-caritativa no concelho de Faro, cerca de 12 mil euros para auxílio domiciliário. Os vicentinos da conferência farense colaboraram ainda com o Centro Distrital de Segurança Social de Faro no transporte e distribuição de uma tonelada de géneros alimentícios provenientes do “Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados”, realizado em duas fases e que permitiu a assistência a mais de 50 famílias. Outra das actividades promovida em 2005 por aquela conferência do movimento da Sociedade de São Vicente de Paulo foi a visita aos reclusos no Estabelecimento Prisional Regional de Faro e a alguns dos seus familiares. Em jeito de balanço, Silvério Reis, presidente da conferência, mostra-se “feliz”, mas simultaneamente “preocupado”. “Estamos felizes com o que foi possível fazer, mas preocupados, porque cada vez são mais os pobres que procuram a nossa ajuda”, concretiza, garantindo que “há muita gente que passa fome, muita pobreza envergonhada e que vive situações de desespero”. Aquele responsável adianta ainda que “há idosos que é preciso visitar, pobres com muitas carências que é preciso ajudar” e lança mesmo o apelo aos mais jovens: “precisamos de mais homens e mulheres, de boa vontade, que connosco possam assumir esta missão de amor ao próximo”. As receitas da Sociedade de São Vicente de Paulo são, na sua maioria, provenientes de peditórios paroquiais, mas também oriundos da susbcrição de quotas e de donativos oficiais e particulares e de colectas. A conferência Beato Nuno de Santa Maria mudou este ano o seu espaço de reuniões para a paróquia de São Luís de Faro, por dificuldade na disponibilização de instalações por parte da paróquia da Sé de Faro, a única comunidade da cidade de Faro que não possui Centro Paroquial.