Hermann Reidel, convidado pelo Bispo de Beja para vir a Portugal, mostrou-se agradado com a exposição. “Penso que é uma exposição interessante na abertura do Paço Episcopal de Faro ao público”, afirmou aquele assessor pontifício, pela primeira vez na região algarvia, acrescentando que se trata de “um bom começo para os apreciadores de arte sacra da diocese do Algarve” e que esta iniciativa “pode ser o primeiro passo para outras exposições” naquele espaço. José António Falcão, comissário da mostra, garante que “a Santa Sé está a acompanhar com muito interesse o trabalho que está a ser feito no Sul de Portugal no que diz respeito à conservação das igrejas históricas e do património religioso” e entende que a vinda de Hermann Reidel “é também sinal de reconhecimento e de interesse por este trabalho que está a ser desenvolvido”. Diocese do Algarve pode expor arte sacra em Beja José António Falcão, comissário da exposição de arte sacra da diocese de Beja, patente ao público no Paço Episcopal de Faro até ao final deste mês, considera que o balanço da iniciativa é “francamente positivo”, até pela “colaboração que se está a tornar possível entre as duas dioceses, do Algarve e Beja”. “Pensamos que isto possa ser o início de uma colaboração que se venha a prolongar noutras iniciativas interessantes. Particularmente a possibilidade de mostrarmos, agora em Beja, a arte sacra do Algarve”, afirmou o comissário que confirmou haver abertura por parte da diocese algarvia para expor as suas peças na diocese vizinha.