Cerca de 140 jovens, oriundos de todas as dioceses do País, participaram na iniciativa, juntando-se depois aos milhares que assinalaram mais uma Peregrinação Nacional. “Quisemos fazer a experiência do congresso com o objectivo de congregar os jovens e ver novos caminhos de trabalho, reflectir no nosso carisma, na melhor forma de o levarmos a outros jovens, continuando a ser uma resposta válida para a pastoral juvenil”, esclareceu o padre António Valente, fundador do movimento. Da diocese algarvia participaram 4 convivas da equipa diocesana do movimento no Congresso que reuniu 140 congressistas de todo o País e na Peregrinação foram 25 os jovens participantes, oriundos de Almancil, Bensafrim, Estoi, Faro, Fuseta, Lagos, Loulé, Luz de Lagos, Luz de Tavira, Quarteira e Tavira. Segundo o padre António Valente, “o Congresso surgiu da necessidade de continuar o esforço de renovação e revitalização do Movimento e de manutenção da unidade na diversidade”. Entre outras, uma das preocupações centrais abordada pelos congressistas foi a necessidade do reconhecimento jurídico do Movimento, como tal, por parte da Conferência Episcopal Portuguesa. Como consequência deste Congresso, irão ainda ser constituídos grupos de trabalho, com o objectivo de adaptar os conteúdos, abordagens e linguagem às exigências do século XXI e também de tirar partido das potencialidades oferecidas hoje em dia à Evangelização pelas Tecnologias de Informação e Comunicação, nomeadamente a Internet.