D. José Alves substitui assim a D. Maurílio Gouveia, que atingiu no passado dia 5 de Julho o limite canónico dos 75 anos de idade, e que era Arcebispo de Évora desde 1981, o “decano” dos Bispos portugueses. O novo Arcebispo de Évora é natural da diocese de Guarda. D. José Francisco Sanches Alves nasceu a 20 de Abril de 1941, na freguesia de Lageosa (sabugal). Estudou Filosofia e Teologia nos seminários da Diocese da Guarda. Em 1966, a 3 de Julho, foi ordenado presbítero na Catedral de Évora. Em Roma fez o Curso de Ciências da Educação, na Pontifícia Universidade Salesiana, onde obteve o doutoramento em Psicologia. A sua actividade pastoral passou desde cedo pela Arquidiocese de Évora, onde foi pároco de Escoural, professor do Instituto Superior de Teologia, secretário diocesano da Catequese e reitor do Seminário Maior de Évora. De 1988 a 1998 foi vigário geral da diocese. Na arquidiocese de Évora foi ainda Coordenador Diocesano da Pastoral e Presidente do Cabido da Catedral. A 7 de Março de 1998 foi nomeado Bispo Auxiliar de Lisboa, com o título de Gerpiniana. A ordenação episcopal celebrou-se em Évora, a 31 de Maio de 1998. No Patriarcado de Lisboa onde, além de outras actividades, foi vigário geral e moderador da cúria. Desde 11 de Abril de 2002 preside à Comissão Episcopal de Acção Social e Caritativa. Entretanto foi igualmente nomeado coadjutor da diocese de Vila Real, D. Amândio Tomás, actual Bispo Auxiliar e vigário geral da arquidiocese de Évora, desde 2002. D. Amândio Tomás foi ordenado Bispo em Roma, por João Paulo II, a 6 de Janeiro de 2002, é oriundo de Cimo de Vila da Castanheira, em Chaves, onde nasceu em 1943. Natural da Diocese de Vila Real é nela que fica incardinado ao ser ordenado presbítero em 15 de Agosto de 1967. O seu percurso académico leva-o até Roma à Universidade Gregoriana e ao Instituto Bíblico, locais onde se licencia em Teologia e em Ciências Bíblicas respectivamente. As novas habilitações académicas fazem com que passe pela docência no seminário de Lamego e na Faculdade de Teologia na Universidade Católica no Porto. Porém é em Roma que D. Amândio acaba por desenvolver a maior parte da sua actividade. Vice-Reitor do Colégio Português em 1976 e Reitor daquela Instituição desde 1982, permanece em Roma até 5 de Outubro de 2001, o dia em que João Paulo II publicou a sua nomeação para Auxiliar da Arquidiocese de Évora. No actual triénio, D. Amândio Tomás é o delegado da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) na Comissão dos Episcopados da Comunidade Europeia (COMECE).