“A Igreja e, naturalmente a diocese do Algarve, não podia deixar de recorrer a este importante meio de comunicação para realizar a missão que Cristo lhe confiou de levar a mensagem do Evangelho a todo o mundo, assim como informatizar todos os seus serviços”, acrescentou. Sobre o projecto informático da diocese, concretamente em relação ao Portal na Internet, D. Manuel Quintas adiantou estar interessado até que alguns assuntos, tendo em conta a realidade turística algarvia, também apareçam em versão inglesa. Relativamente aos sistemas de gestão paroquial e gestão diocesana, D. Manuel Quintas fez a seguinte comparação: “É a mesma importância, por exemplo, da informatização de uma Câmara Municipal e das respectivas Juntas de Freguesia, com a particularidade que, penso eu, há uma maior amplitude de comunicação entre as paróquias e os serviços diocesanos”, afirma. “Basta pensarmos só nas vantagens da informatização dos registos e dos arquivos paroquiais e na facilidade do acesso às certidões dos sacramentos recebidos, bem como na comunicação desses dados pedidos entre as diversas paróquias… para verificarmos o benefícios que este sistema nos vai proporcionar”, garante D. Manuel Quintas. Assim, acredita o Bispo diocesano, a comunicação com as paróquias será muito mais facilitada, permitindo, na hora, o conhecimento de muitos dados, alguns deles que, por sua vez, a diocese deve comunicar aos serviços da Conferência Episcopal Portuguesa ou mesmo da Santa Sé. “É o caso, por exemplo, de dados estatísticos referentes aos diversos sectores da acção paroquial e diocesana, bem como da convocação de reuniões, encontros, e envio da respectiva documentação… Vai ser mais fácil, por exemplo, redigir o relatório para a próxima Visita ad Limina…”, esclarece D. Manuel Quintas. O sistema vai permitir à diocese do Algarve, igualmente, um contacto mais rápido e eficiente com as dioceses de origem de muitos católicos estrangeiros que residem na região algarvia e que por cá se integram. Em resumo, D. Manuel Quintas acredita que o projecto Algarve Digital concedeu um impulso importante à Igreja algarvia, no que toca à sua modernização tecnológica: “A diocese do Algarve não podia deixar de ‘apanhar este comboio’, e integrar-se no projecto Algarve Digital. Está reconhecida à Globalgarve e a quantos viram a nossa integração como benéfica para este projecto. Estamos, por isso, conscientes das vantagens que encontramos, com a certeza de que todos os que viajam neste mesmo ‘comboio’, encontram na nossa companhia uma presença enriquecedora, uma vez que é expressiva de toda a região algarvia”. D. Manuel Quintas especifica as mais de 270 assembleias dominicais, que semanalmente realizamos e que abrangem todo o território algarvio, desde as grandes cidades do litoral, aos lugares mais modestos e, normalmente, mais esquecidos da serra algarvia. O Bispo destaca ainda o papel de todos quantos integram os movimentos da Igreja e instituições de solidariedade social, que integram crianças, jovens e adultos, sem esquecer os movimentos familiares diocesanos. “Destes saliento, de modo particular os mais de 1500 membros dos Corpo Nacional de Escutas, na sua grande maioria jovens”, acrescenta. D. Manuel Quintas confessou-se um “frequentador assíduo” do Portal Algarve Digital, como fonte de actualização sobre o que se passa na nossa região algarvia, fazendo apenas uma ressalva: “Como Bispo desta Diocese e tendo presente o meu calcorrear algarvio, tenho de afirmar, no entanto que, apesar de todas as vantagens deste meio de comunicação, pelo qual nos sentimos tão próximos de todo o mundo numa imensidade de comunidades virtuais, nada pode substituir o contacto humano directo, pessoal, presencial tão imprescindível para o conhecimento mútuo e o crescimento harmonioso e integrado de pessoas e comunidades”, concluiu.