D. Manuel Quintas explicou ainda a razão deste ano consagrado pela Igreja ao apóstolo Paulo. “É para nos apoiarmos em São Paulo como testemunha e anunciador exemplar da Palavra, mestre permanente da Igreja”, disse. Concretamente sobre o tema da sua intervenção afirmou que “é na Palavra de Deus que a Igreja deve ir buscar a sua missão”. “É a fonte da sua profecia e razão da sua esperança. A Igreja nasce e vive da Palavra de Deus”, justificou, lembrando que “a vocação e missão da Igreja é evangelizar”. Para evitar que a Sagrada Escritura seja interpretada à maneira de cada um, com subjectivismo, o Bispo diocesano defendeu uma “promoção pastoral robusta e credível da Bíblia, dialogando com estruturas do nosso tempo, posta ao serviço da verdade”. Esta promoção, concretizou, “são os cursos bíblicos e o recurso à leitura diária da Bíblia”, entre outras iniciativas. Por outro lado, apelou às novas tecnologias na transmissão da Palavra. “Mesmo aqueles que são avessos às novas tecnologias façam um favor: convertam-se!”, exortou, considerando que “o mundo da comunicação tornou-se essencial para a evangelização e catequese”. “A Igreja sentir-se-ia culpada diante do seu Senhor se não recorresse a estes poderosos meios. Neles encontra uma versão moderna e eficaz de púlpito e graças a eles consegue falar às multidões”, destacou D. Manuel Quintas lembrando o pensamento de João Paulo II. Mais fotos na Galeria de Imagens