Fazemo-lo, com uma intenção muito própria, objectiva e definida, neste arranque de, também, mais uma «Semana do Seminário», um tempo de reflexão, de compromisso e de comprovada certeza no nunca desmentido amor de Deus pelos seus filhos. O Seminário Diocesano de São José, em Faro, um espaço de Igreja e de Algarve, pela profunda intervenção e papel, a vários níveis desenvolvido por esta Instituição, ao cabo de três séculos na vida algarvia, quer no âmbito religioso como civil, toca-nos a todos e a todos nos importa. Aliás a sua função entronca em pleno no «Programa e Calendário Pastoral 2006/2012», perspectivado para o ano em curso sob o te ma «(Re)conhecer em Cristo, a nossa identidade e missão», de modo próprio na primeira etapa deste sexénio, o­nde se apontam como objectivos específicos: «Partir do conhecimento da realidade social e religiosa diocesana, para identificar apelos evangelizadores e preparar os meios operativos da resposta». O Algarve é, reconhecidamente, «Terra de Missão», de acordo com a ideia do texto evangélico «A seara é imensa e os operários são poucos…». Daqui que seja plena de actualidade a interrogação, a propósito desta «Semana dos Seminários» – «Tu amas-me?», «Apascenta as minhas ovelhas». Em cada Lausperene, na Adoração ao Cristo Vivo, que vão acontecer Algarve em fora, lá estará cada um de nós, na prece dirigida a Deus Pai: «Senhor, dai-nos muitas e santas vocações sacerdotais…»