Nela todo estamos envolvidos os que olham para a Caridade como a expressão mais viva, sedutora e interpelativa do Mestre, de modo próprio na plena vivência do Mandamento Novo – "Amai uns aos outros como Eu vos amei", que foi e é a base maior da maior revolução de justiça social, de compreensão fraterna e de encontro redentor entre os homens criados à imagem e semelhança de Deus Pai. Aliás, na sua primeira Encíclica "Deus Caritas Est" Bento XVI, com todo o sentido de plenitude e autoridade que lhe vem não apenas de Sucessor de Pedro, o Primeiro Papa da Igreja instituído por Jesus de Nazaré ("Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja…"), como por aquilo que tem o seu percurso de Consagrado e de Teólogo, como referências assinaladas da Fé no tempo contemporâneo, aponta esse sentimento vivencial de Caridade (Caritas) como um caminho maior a trilhar. Mais do que um Peditório esta Jornada que anualmente é promovida em prol da Caritas Portuguesa representa um compromisso, um empenhamento e um sim de todos nós, de modo especial dos católicos por uma Instituição da Igreja, ao serviço dos homens, sobretudo por aquele que é imagem do Cristo Sofredor, o Cristo da Paixão e do Amor. Esta é a hora própria para, sem ferir susceptibilidades dos seus mentores, de modo mui directo do seu Presidente, Carlos Oliveira, mas de numa atitude grata e de justiça ("Justicie Amor Est"), agradecermos a Deus Pai, por intermédio de Seu Filho e na inspiração que nos advém do Divino Espírito Santo, o testemunho do que tem sido a acção da Caritas Diocesana do Algarve, fazendo de cada acção, de cada ajuda, de cada gesto um "Mandamento de Amor", na vivência total do "Deus Caritas Est".