"Este Dia de Louvor é específico porque queremos agradecer efectivamente ao Senhor pela sua infinita e divina misericórdia", explicou António Aparício, coordenador do RCC no Algarve, à FOLHA DO DOMINGO, manifestando a vontade de "chegar ao povo que não vive a fé". Certo da participação naquele encontro de "gente que não acompanha os grupos de oração" do RCC, António Aparício salienta a participação de pessoas "que vêm para ver como é e que andam à procura de qualquer coisa". "Nós aqui sabemos quem vimos encontrar", frisa. Sem estar preocupado com o número dos participantes, destacou estar espectante quanto à "qualidade dos participantes". "Queremos pessoas que se sintam efectivamente empenhadas numa caminhada de fé e de adesão ao projecto de Jesus Cristo", complementou. Animado e conduzido pelo padre Carlos Victal, da Comunidade Canção Nova (emergente do RCC), o Dia de Louvor foi constituido pela Hora da Misericórdia, com a oração do rosário da Misericórdia, cantado, meditado a partir de algumas recitações da publicação de Santa Faustina Kowalska. Decorreu de seguida um ensinamento, seguido da celebração da Eucaristia e, à noite, teve lugar o Serão da Misericórdia, com adoração de louvor ao Santíssimo Sacramento, composta por alguns cânticos. Ao longo do dia foram vários os momentos em que os presentes se manifestaram através de orações participativas e de gestos de fé, como uma prolongada ovação com uma salva de palmas a Deus. "Todos somos convidados a louvar e a cantar e a manifestarmos o nosso apreço e agradecimento por aquilo que o Senhor tem feito por nós no nosso dia-a-dia", referiu António Aparício. Durante o ensinamento o padre Carlos Victal defendeu que estamos a viver o "último tempo", "o tempo de Misericórdia" a que se seguirá o tempo da "justiça divina". O sacerdote considerou que "a civilização do amor vai acontecer com a segunda vinda gloriosa de Jesus", que disse estar próxima. A propósito, o padre Carlos Victal exortou os presentes a não viverem "acomodados no cristianismo". Incitou ainda ao perdão e à oração.