Após o acolhimento, o Dia Diocesano do Catequista teve início precisamente com a intervenção de D. Manuel Quintas que manifestou o “reconhecimento e a solicitude de toda diocese” pelo serviço e ministério dos catequistas nas comunidades cristãs algarvias. Num dia igualmente marcado pela conclusão do Ano Paulino na Diocese do Algarve, o Bispo diocesano explicou a intenção de “unir este dia à missão de anunciar o Evangelho e à missão dos catequistas nas comunidades cristãs”. “Nas nossas paróquias podem faltar muitos agentes de pastoral, mas catequistas nunca faltam”, constatou D. Manuel Quintas, reconhecendo a “sensibilidade, que se evidencia pela disponibilidade de alguém para ser transmissor da fé como expressão da própria comunidade que envia, está sempre presente na Igreja”. O Prelado chamou a atenção dos educadores para o aspecto central da sua missão. “O centro de tudo o que somos e fazemos é a Pessoa de Cristo. Ele é o nosso grande catequista. Só pode ser bom apóstolo que tiver como catequista a Pessoa de Cristo, cujo Evangelho, para ser anunciado com fidelidade tem de ser inserido na comunidade. Ninguém é catequista a título pessoal”, advertiu, sublinhando a importância também do encontro pessoal com Cristo e da oração. À intervenção do Bispo do Algarve seguiu-se a apresentação do trabalho realizado ao longo do presente ano pastoral pelas equipas vicariais da catequese de três das quatro vigararias da diocese. Um dos aspecto mais importantes desta jornada foi mesmo a conferência apresentada por Cristina Sá Carvalho [ver texto anexo], psicóloga educacional e membro do SNEC – Secretariado Nacional da Educação Cristã, seguindo-se, depois do almoço, a apresentação do trabalho da última equipa vicarial e a entrega dos certificados aos catequistas que frequentaram com aproveitamento o Curso de Iniciação de Catequista realizado este ano. Os catequistas participaram integraram-se depois na celebração diocesana de conclusão do Ano Paulino no Algarve, na qual foram homenageados com a entrega de um diploma aos educadores com 25 ou mais anos de serviço e dedicação voluntária à Igreja algarvia e que estão ainda no activo. Mais fotos, brevemente na Galeria de Imagens