Inicio / Noticias / Diocese algarvia participou nas Semanas Sociais Portuguesas em Braga

Diocese algarvia participou nas Semanas Sociais Portuguesas em Braga

Participaram no Encontro cerca de quinhentas pessoas provenientes de todas as Dioceses do País, tendo a Delegação da Diocese do Algarve sido liderada pelo Bispo diocesano D. Manuel Neto Quintas e integrada pelos responsáveis da Cáritas Diocesana Padre Carlos Aquino, Carlos Oliveira, Luís Henriques e Albino Martins e ainda pelo Diácono Luís Galante da Comissão Diocesana Justiça e Paz, pelo Diácono Vitor Sabino e Maria Piedade Sabino da Paróquia da Senhora do Amparo de Portimão e pelo jovem seminarista Miguel Neto que actualmente realiza o seu estágio pastoral na Paróquia de Monchique. Para abertura dos trabalhos veio de França o antigo Presidente da Comissão Europeia Jacques Delors que defendeu a «criação de um Conselho de Segurança Económica no seio da Organização das Nações Unidas, de modo a prevenir os factores de desiquilíbrio que ameçam a economia mundial e a paz» e para o encerramento chegou de Roma o Cardeal Renato Martino, Presidente do Pontíficio Conselho Justiça e Paz, que conduziu os participantes numa visita guiada ao Compêndio da Doutrina Social da Igreja, recentemente publicado e defendeu a globalização da solidariedade e da economia de comunhão, como forma de ultrapassar os graves problemas sociais que a humanidade enfrenta. Durante os trabalhos apresentaram ainda comunicações o Arcebispo Primaz de Braga e Presidente da Conferância Episcopal Portuguesa D. Jorge Ortiga, o Cardeal Patriarca de Lisboa D. José Policarpo, Manuel Porto, Coordenador nacional das “Semanas Sociais Portuguesas”, António Borges, Manuela Silva, Vitor Constâncio. Jorge Braga de Macedo, Augusto Mateus, Arlindo Cunha, Daniel Bessa, Luís Braga da Cruz, Luis Valente de Oliveira, Roque Amaro, Eugénio da Fonseca, António Vaz Pinto, Eduardo Marçal Grilo, Roberto Carneiro e Joaquim Azevedo, quase todos antigos governantes de diferentes sectores politico-sociais. D. António Carrilho, Presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família:O tema “Uma sociedade criadora de emprego” apresenta-se como uma urgência maior, uma verdadeira «emergência» nacional, perante os quase 500 mil desempregados, o número mais elevado desde há vinte anos e com tendência para aumentar”. D. Jorge Ortiga, Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa:“A Doutrina Social da Igreja é um Tesouro escondido que se torna necessário divulgar”. Jacques Delors, antigo Presidente da Comissão Europeia:“Será aceitável suscitar a emoção dos nossos concidadãos, falando-lhes ao Domingo da pobreza insustentável de milhões de homens e mulheres, mas depois, durante a semana, publicar panfletos contra a concorrência desses mesmos países e a reclamar medidas proteccionistas?” “É preciso que todos se apertem à mesa para que todos tenham lugar e direito a um prato”. “Todo o homem é um tesouro escondido”, por isso defendeu uma economia à dimensão da pessoa, o­nde a qualificação dos trabalhadores, a educação e a formação profissional das pessoas, sejam eles trabalhadores ou empresários, podem ser estímulos ao desenvolvimento económico. A educação é fundamental e as desiguldades no acesso à formação contribuem para a exclusão social e para a pobreza. Manuela Silva, Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz:“Contra as teses da inevitabilidade dos processos históricos e os determinismos da globalização, afirmo que é possível ir construindo formas de viver colectivo mais justas e mais felizes”.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …