Entretanto, o relicário contendo os restos mortais de Santa Teresinha já passou pelas dioceses de Leiria-Fátima, Santarém, Portalegre-Castelo Branco, Évora, estando presentemente em Lisboa, no âmbito do Congresso da Nova Evangelização, o­nde permanecerá até dia 14 deste mês. Depois seguir-se-ão as dioceses das Forças Armadas e de Segurança, Beja, Algarve, Setúbal, Porto, Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança-Miranda, Lamego, Viseu, Coimbra, Guarda, Aveiro, Angra do Heroísmo e, por fim, Funchal. Desde 1994 que as relíquias da Santa carmelita, que viveu entre 1873 e 1897, têm vindo a visitar as comunidades cristãs do mundo inteiro. Multidões de fiéis aproximam-se para a venerarem e a sua personalidade tem vindo, ao longo dos tempos, a inspirar inúmeras criações artísticas, culturais e outras. Conforme recorda o padre Alpoim Portugal, antigo provincial carmelita e organizador da vinda das relíquias a Portugal, conjuntamente com a Conferencia Episcopal Portuguesa, “oito anos depois de ter sido proclamada Doutora da Igreja [pelo Papa João Paulo II, em 1997], Santa Teresinha continua a ser muito actual: bastaria enumerar os muitos estudos que continuam a ser feitos à volta da sua figura e mensagem; também o cinema se interessa por esta pessoa tão singular, baste recordar o último filme estreado no ano passado, Thérèse. Uma jovem comum com uma alma extraordinária, do director Leonardo Defilippis”. Pela primeira vez em Portugal, as relíquias também têm vindo a ser veneradas por muitos fiéis que não querem deixar de prestar essa homenagem à Santa de Lisieux. Pelas diversas dioceses, as comunidades têm procurado promover alguma informação e formação, não só sobre esta visita, mas também sobre a própria vida e doutrina de Santa Teresinha. Vários têm sido por isso não só os momentos de oração, acção de graças e celebração, como também as palestras, conferências, congressos, exposições, filmes, entre outros. Na diocese algarvia, a vinda do relicário tem estado a ser preparada em colaboração com a comunidade do Carmelo de Faro, no Patacão. As irmãs carmelitas descalças diligenciaram para que fossem feitas algumas faixas alusivas ao acontecimento para serem colocadas em algumas igrejas algarvias, nomeadamente naquelas que irão acolher as relíquias, bem como outdoors e mupis (cartazes de grandes formatos), que serão espalhados pela cidade de Faro. Como preparação para a visita das relíquias, as irmãs carmelitas descalças irão também promover, de 14 a 16 de Novembro, pelas 21 horas, no Carmelo, algumas celebrações e palestras realizadas pelo padre Alpoim Portugal sobre a Doutrina e Espiritualidade da Doutora da Igreja. Do programa previsto [ver abaixo], destaca-se a Vigília de Oração, promovida pelos consagrados (as) na primeira noite, a Eucaristia presidida pelo Bispo diocesano na Catedral no último dia, bem como a passagem do relicário pelo Estabelecimento Prisional de Faro. A arca, contendo as relíquias, permanecerá as três noites, enquanto estiver no Algarve, no Carmelo de Faro e será sempre transportada pela carrinha que a transportará por todas as dioceses portuguesas. Por motivos de segurança, haverá também sempre, durante o tempo de veneração, duas pessoas a vigiar continuamente o relicário. RELICÁRIO Comprimento – 1,50m Largura – 0,95m Altura – 0,85m Peso – 132 kg Origem da construção – Brasil PROGRAMA Quinta-feira, 17 de Novembro 17.00h – Chegada das relíquias da diocese de Beja – Acolhimento no Carmelo de Faro – Mosteiro de Nossa Senhora Rainha do Mundo – Oração de Vésperas e Eucaristia 21.00h – Vigília de oração promovida pelos consagrados(as), pernoitando as relíquias no Carmelo Sexta-feira, 18 de Novembro 08.00h – Partida do relicário para Portimão – Procissão com a imagem de Santa Teresa, da igreja matriz para a praça da Alameda. – Oração 09.00h – Chegada das relíquias à Alameda – Acolhimento pela cidade e vigararia de Portimão, conjuntamente com as vigararias de Albufeira e Lagos – Procissão com a imagem e relíquias para a igreja matriz 09.30h – Canto de Laudes – Tempo de visita e oração (individual ou por grupos paroquiais) 12.00h – Eucaristia (presidida pelo pároco) 14.15h – Recitação do Rosário 15.00h – Despedida para Tavira 16.30h – Chegada das relíquias a Tavira – Acolhimento na Igreja de Nossa Senhora do Carmo – Oração de Vésperas 19.00h – Eucaristia (presidida pelo pároco) 20.30h – Vigília de oração promovida por grupos e movimentos das paróquias da vigararia de Tavira 22.30h – Despedida para o Carmelo de Faro, o­nde o relicário pernoitará Sábado, 19 de Novembro 09.00h – Chegada das relíquias à Sé Catedral – Acolhimento pelo pároco da Sé – Canto de Laudes 09.30h – Celebração para as Vigararias de Faro e Loulé/São Brás de Alportel orientado para as famílias, grupos e movimentos (9.30h); para os jovens (em colaboração pela pastoral juvenil e vocacional) (10.30h); para as crianças da catequese (11.30h) 12.00h – Eucaristia (presidida pelo Bispo diocesano) – Despedida da Sé Catedral (presidida pelo Bispo diocesano) 13.30h – Acolhimento no Estabelecimento Prisional de Faro, orientado pelo padre Manuel Rodrigues 14.30h – Despedida e partida para a diocese de Setúbal