Segunda-feira 14 de Outubro de 2019
Inicio / Noticias / Diocese do Algarve volta a participar na mobilização pela Paz Mundial

Diocese do Algarve volta a participar na mobilização pela Paz Mundial

“Criar uma cultura de paz no coração dos cidadãos, vencendo a dimensão consumista e materialista do Natal”, é o objectivo da campanha, que pretende levar ao envolvimento de todos, sociedade civil, concretamente através das comunidades paroquiais e escolas. É o terceiro ano que a Cáritas algarvia adere a esta iniciativa procurando promover os valores da paz, da solidariedade e da reconciliação. “Só unidos e com gestos concretos teremos capacidade de nos opormos à violência”, lembra Carlos de Oliveira, presidente da instituição. “Neste tempo natalício, queremos sensibilizar os cidadãos, independentemente das suas convicções religiosas ou políticas, mas que se querem manifestar para contrariar as tendências consumistas e que desvirtuam o verdadeiro sentido do Natal”, complementa aquele responsável. Os actos previstos para a edição deste ano, centram-se nos dias 10 e 24 de Dezembro No primeiro, sugere-se que as localidades se movimentem através de desfiles, ou outras acções de carácter cultural ou lúdico e que, por meio destas, se testemunhe os valores da Paz. Para que tal possa acontecer, “têm papel fundamental as comunidades paroquiais, que através dos diferentes movimentos existentes podem promover e dinamizar as populações, e este ano com reforçada adesão da população escolar que através do SNEC – Secretariado Nacional da Educação Cristã foram para tal sensibilizadas”, sublinha Carlos Oliveira. No dia 24, a iniciativa partirá de cada pessoa ou família ao colocar na janela da sua casa, entre as 20.00 e as 23.00 horas uma vela ou fotoforo (vaso em terracota de 11 cm de altura com cera), como resposta à causa da Paz. As velas e os fotoforos poderão ser adquiridos na Cáritas Diocesana ou nas comunidades paroquiais, sendo o seu valor de 1 e 2,50 euros respectivamente. Os valores obtidos serão, como sempre, para duas causas, uma internacional e outra diocesana, sendo que a primeira será concretizada na aplicação dos fundos recolhidos num projecto em São Tomé e Príncipe para dar resposta a necessidades urgentes das crianças das zonas mais desfavorecidas daquele país. Quanto à causa diocesana, este ano os valores angariados destinam-se a ajudar na construção do Lar do Centro Paroquial de Cachopo. Uma zona serrana o­nde o envelhecimento da população é uma realidade e a dispersão das residências se torna um obstáculo para as suas vidas, vivendo os idosos no isolamento e longe dos locais o­nde possam ter acesso rápido à resolução dos seus principais problemas nomeadamente o da saúde. A Cáritas do Algarve apela assim a “uma forte mobilização de todos, não deixando ninguém de participar”. “Mesmo que não seja através de manifestações públicas, que ao menos adquiram a vela ou fotoforo e assinalem o dia 24 com este gesto de sensibilização para construção da Paz, da Solidariedade e da Reconciliação”, apela Carlos Oliveira.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …